Quanta DGT/AAM distribui 581 kits de digitalização no País

20 jan

Mais 581 kits de digitalização estão sendo distribuídos pelo país, beneficiando de grandes redes a exibidores de médio e pequeno porte. Os kits são compostos por projetor, lente, lâmpada, pedestal, servidor e processador de áudio. A informação é da Quanta DGT/AAM, principal integradora para a digitalização de salas de cinema no Brasil, que começa 2015 com boas notícias para os exibidores. A distruição acontece após a liberação da primeira parcela do financiamento do BNDES e a resolução dos últimos entraves burocráticos.

foto-Refrescante-2014-10-28-713669_1

De acordo com Suzana Lobo, diretora de Operações da Quanta DGT, a distribuição inicia no dia 19, será realizadas por região e deve durar um mês. “Estamos ampliando as equipes para trabalhar nessa logística. Nosso pessoal no Rio de Janeiro recebeu reforço de São Paulo e montamos três times, que estão atuando em tempo integral desde a semana passada. Estamos trabalhando também com três transportadoras.”

Rumo a digitalização integral

Essa remessa entrega os kits que faltavam para finalizar a digitalização das salas. Esse é o caso da GNC Cinemas, que receberá os cinco restantes. “Com isso, imaginamos que em fevereiro estaremos 100% digitalizados. Os benefícios estão sendo muitos em termos de programação, questão de legendado ou não, há maior flexibilidade. E a qualidade da projeção aparece como se fosse a primeira de um filme em 35 mm, mesmo na 50ª vez da digital. Sem dúvida melhora muito com relação ao que podemos entregar aos clientes em termos de imagem e som”, afirma  Ricardo Difini Leite, sócio da rede, que atua em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul.

A Rede Cinesercla tem 90% de suas salas digitalizadas em oito estados. As últimas começarão o processo agora, com a chegada de kits que vão para Aracajú e Fortaleza. “A digitalização completa das salas é um projeto para o qual os diversos setores da empresa têm se preparado ao longo do último ano. Melhorar a qualidade das imagens exibidas e transformar o som analógico em digital 7.1 é uma meta idealizada pela diretoria da rede”, explica o diretor do grupo Luciano Bonato. “A digitalização, além de trazer um upgrade de qualidade nas nossas exibições, também facilitará o acesso dos nossos clientes aos lançamentos existentes no mercado, aumentando a possibilidade de filmes que possuem distribuição restrita entrarem em cartaz nos cinemas do Brasil”, completa.

A Cinematográfica Araújo, uma das maiores redes de cinema do país, receberá kits para digitalizar suas 55 salas ainda não modernizadas. “A digitalização, a nosso ver, inaugura uma nova fase no ramo da exibição, que é a democratização do conteúdo para os cinemas, onde todos, pequenos médios e grandes, terão a mesma oportunidade. Isso vai proporcionar um crescimento significativo dos expectadores e, consequentemente, do público a nível Brasil, com aumento muito grande na qualidade de exibição e na diversidade de conteúdo. Sem dúvida iremos viver um novo momento, que possibilitará a todos maiores receitas, o que é muito saudável”, conclui Marcos Araújo.

Suzana Lobo diz que todos os equipamentos, além do benefício fiscal do Recine, tiveram também exoneração de ICMS via Estado do Rio de Janeiro.

Screen Shot 2014-10-04 at 09.46.57

Fonte: Panorama Audiovisual

Anúncios

Divulgue! www.oeditor.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s