5 mega produções com belíssimas interfaces de usuários | User Interface Design

25 jul

As interfaces de computadores fictícias de alta qualidade estão ganhando cada vez mais espaço nos filmes de Hollywood, ano após ano ficamos mais impressionados com a complexidade e qualidade dessas composições. Grandes produções da indústria do cinema criam falsas interfaces para operar todo o tipo de mega computadores, desde operações da NASA até lutas entre robôs gigantes.010101

Confira 5 mega produções que se utilizaram dessas interfaces e como foi o processo de desenvolvimento utilizado pelos artistas e compositores.

HOMEM DE FERRO

Começamos com nada mais nada menos que Homem de Ferro, blockbuster da Marvel. Sendo um dos mais icônicos HUDs (de maneira bem simples e direta o HUD é qualquer elemento gráfico exibido na tela para transmitir informações ao jogador ou usuário) fictícios, o sistema do capacete do Homem de Ferro se tornou um modelo a ser seguido por motions designers logo depois de aparecer nas telas em 2008.

Esse breakdown, referente ao filme Os Vingadores, nos mostra uma das últimas iterações do  mesmo design apresentado em 2008. Esse interface é particularmente interessante porque ela se baseia inteiramente nas expressões e na movimentação dos olhos do Robert Downey Jr,  mas ainda assim transmite uma quantidade surpreendente de informações utilizando apenas um rosto.

OBLIVION

Essa ficção científica de 2013 é cheia de recursos visuais maravilhosos em cenografias estelares. Um dos aspectos mais impressionantes do filme é o design das interfaces futuristas.

Com layouts distintos que efetivamente quebram a imensa quantidade de informações apresentadas em telas, o Motion Design de Oblivion define um grande exemplo de como criar uma interface com um número elevadíssimo de informações mas que ao mesmo tempo é muito clara em relação a informações cruciais no meio de muitos dados aleatórios.

Esse breakdown é fascinante, com elementos orgânicos leves e movimentação suave.

CÍRCULO DE FOGO (PACIFIC RIM)

Círculo de Fogo, esse blockbuster de ação de proporções épicas, apresenta-nos interfaces coloridas e diversificadas de grande qualidade.

O filme apresenta interfaces que se destacam com desenhos diferenciados que refletem exclusivamente qual robô operam. Por exemplo, o mais novo dos robôs possui um display denso de combinações com cores modernas e populares, como o azul e o vermelho, enquanto o antigo robô russo apresenta uma interface mais simples e com cores militares, como o laranja e o verde.

Esse breakdown nos mostra o quão bem a interface foi integrada ao ambiente e aos personagens ao redor dela, interagindo com o movimento tanto dos pilotos quanto dos robôs.

GUARDIÕES DA GALÁXIA

Sendo outro exemplo de excesso feito corretamente, a interface de Guardiões da Galáxia apresenta uma lindos padrões, combinações de cores e sistemas de partículas.

Enquanto os elementos eram em, sua maioria, projetados para serem visualmente agradáveis ao contrário de informativos, os designers ainda conseguiram manter centenas de elementos distribuídos distintamente na tela, mas ainda assim priorizaram esses elementos de acordo com a importância e estrategicamente posicionaram formas significativas onde a visão dos espectadores deve estar focada.

Com tantas formas geométricas complexas constantemente se movendo, essas interfaces poderiam facilmente terem resultado em uma bagunça, mas ao contrário disso, esse excelente trabalho se encaixou muito bem na galáxia apresentada no filme.

PERDIDO EM MARTE

Perdido em Marte apresenta a interface mais minimalista da lista, hipoteticamente uma tecnologia da NASA algumas décadas no futuro.

Com uma tecnologia real a ser apresentada e uma interface da NASA real a ser replicada, esse foi, provavelmente, um dos sistemas mais difíceis de ser criado nessa lista. Enquanto algumas liberdades científicas certamente foram tomadas por razões artísticas e para a compreensão do público, este ainda se parece com uma versão ligeiramente mais provável do que pode realmente existir no futuro.

O verdadeiro centro de controle da NASA é atualmente muito mais utilitário do que esta representação, mas esta ficção científica com tons de comédia e um pouco de suspense nos apresentou um grande trabalho onde foi misturado o motion design e praticidade científica.

Como podemos ver, diferentes cenários fictícios necessitam de diferentes abordagens em termo de interfaces computadorizadas.

Espero que esses exemplos sensacionais sirvam de inspirações para os seus próximos trabalho!

Fonte: Tutorama
Texto: Doug Rodrigues

Anúncios

Divulgue! www.oeditor.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s