Sony Alpha A6500 | Review

10 out

site_a6500

Vai até parecer uma notícia antiga… A Sony acaba de lançar a sua nova câmera fotográfica sem espelho, modelo Alpha A6500 e chega trazendo uma importante reflexão: Até que ponto a tecnologia se tornou redundante? Vamos em frente!!

Existe hoje, a perda do foco da inovação ou a necessidade da novidade é irreversível? Parece que encontramos não apenas na Sony, como em outros fabricantes, um círculo sem fim de redundância tecnológica, que não consegue avançar significativamente em seus produtos. Isso confunde os consumidores e sobretudo, força a utilização de certas tecnologias em mercados errados.

Há menos de um ano a Sony Alpha A6300 era lançada como uma boa opção de câmera fotográfica. Rápida, leve e com preço acessível (US$ 998). Hoje temos o lançamento da Sony Alpha A6500… Rápida, leve e bem mais cara (US$ 1.399). Simples assim? Na verdade, não.

00

Primeiro, é fundamental que se faça uma reflexão… A Sony Alpha A6500 é uma câmera fotográfica muito bem desenvolvida para ser uma excelente opção para jornalismo, esporte e turismo, pois a sua velocidade de disparo chega a até 11 quadros por segundo em resolução máxima RAW, e ainda podendo continuar esse processo, registrando até 107 quadros. Excelente!!! Se você optar em diminuir a qualidade de RAW para JPEG, você terá a impressionante marca de até 301 quadros contínuos e também, em uma velocidade de disparo de até 11 quadros por segundo.

Segundo, a gravação de quadros em RAW está limitada a até 11 quadros por segundo e por isso, não pode ser utilizada em um ambiente de vídeo. O que me surpreende, pois simultaneamente ao lançamento da Sony Alpha A6500, temos a Sony Cyber-Shot DSC-RX Mark 5 custando o mesmo preço da A6300 (US$ 998) e com uma velocidade de disparo  de 24 quadros por segundo em formato RAW e por até 71 quadros.

Simplesmente não faz o menor sentido!! Claro que existe uma diferença de tamanho e qualidade entre os  sensores, com 24 Megapixel (6.000 x 4.000) na A6500 e 20 Megapixel (5.472 x 3.648) na DSC-RX100 Mark 5, mas ainda assim, sem sentido a diferença de velocidade de disparo de 11 para 24 quadros por segundo.

  • Sony Alpha A6300 
  • 11 quadros por segundo em RAW (até 21 quadros contínuos)
  • 11 quadros por segundo em JPEG (até 44 quadros contínuos)
  • Sony Alpha A6500
  • 11 quadros por segundo em RAW (até 107 quadros contínuos)
  • 11 quadros por segundo em JPEG (até 301 quadros contínuos)
  • Sony Cyber-Shot DSC-100 Mark 5
  • 24 quadros por segundo em RAW (até 71 quadros contínuos)
  • 24 quadros por segundo em JPEG (até 148 quadros contínuos)

Terceiro e mais importante, entre a A6300 e A6500, excluindo a atualização e melhoria na quantidade de fotos contínuas, todas as outras especificações no sensor são idênticas… Seria justo dizer, que você irá pagar um adicional de US$ 401, em relação ao modelo anterior, por um processador interno de imagens mais potente.

Mas e se o seu mercado mais importante for o vídeo e não a fotografia? A Sony Alpha A6500 tem uma importante atualização, que é a estabilização de imagens através de cinco eixos, característica derivada da linha de câmeras A7 e que valoriza este investimento. Eu já pude experimentar a A6300 e te confesso a minha preocupação pelo tamanho reduzido, sem nenhuma estabilização, por isso, para qualquer profissional que deseja gravar vídeos, esta nova atualização é bem mais do que necessária.

Um detalhe importante e que adiciona ainda mais valor a este novo modelo, é a tela traseira de menu, que funciona através de toque, inclusive quando você estiver gravando as cenas. Por exemplo, quando você precisar direcionar o ponto de foco em uma cena enquanto estiver gravando.

Em última análise, a A6500 traz um certo incômodo diante do seu elevado custo, em relação ao modelo anterior, e fica sem dúvida, a expectativa sobre a melhoria na velocidade de disparo de quadros em RAW, e que possa enfim, ser utilizado para o vídeo. E esta curva de avanço tecnológico da Sony, ainda parece estar longe de alcançar resultados satisfatórios, pois mostra-se desordenado na distribuição da sua linha de câmeras.

site_cyebrshot

Fazendo o contra-ponto da reflexão, se a A6500 é uma câmera mais funcional para a fotografia, não seria uma tentativa válida, a utilização da DSC-RX100 Mark 5 para a gravação de sequências RAW ou  JPEG para o vídeo?

Todos nós já passamos por isso no passado recente, instalando o programa Magic Lantern dentro das nossas câmeras fotográficas, justamente buscando por uma qualidade melhor através da gravação de sequências RAW. E é justamente a este tipo de incômodo, que eu sempre me refiro nas matérias e de querer utilizar uma tecnologia reduzida para um mercado errado. Claro, todos nós desejamos avançar e forçar os investimentos, mas acredito que vocês estão entendendo a minha reflexão e por isso, vamos ampliar um pouco mais a reflexão.

  • Sony Cyber-Shot DSC-100 Mark 5
  • 24 quadros por segundo em RAW (até 2,95 segundos)
  • 24 quadros por segundo em JPEG (até 6,16 segundos)

Se eu consigo internamente gerar uma sequência de imagens em RAW de até 2,95 segundos ou de até 6,16 segundos em JPEG, acredite, será de longe, uma qualidade muito superior ao que você tem através do compressor de vídeo XAVC-S (100 Mbps). Você terá imagens enormes com 5.472 x 3.648 com 14 bit de profundidade de cor.

Acredito, que até mesmo sem ter a intenção prática disso, a Sony acaba de abrir a caixa de Pandora e coloca em questionamento as razões dos fabricantes limitarem e segurarem este tipo de tecnologia de geração de sequência de imagens RAW. Talvez a resposta seja tão simples, que cause um desdobramento pontual em todo o mercado…

Toda câmera fotográfica tem a capacidade de gerar sequências de imagens RAW e até bem superiores em qualidade às câmeras de cinema digital. A Sony Cyber-Shot DSC-RX100 Mark 5 praticamente gera imagens em 6K por até 2,95 segundos em RAW!!!!

  • Sony Cyber-Shot DSC-100 Mark 5
  • 5.472 x 3.648 em RAW (20 MB por quadro)
  • 3840 x 2160 em 4K XAVC-S 100 Mbps (0,520 MB por quadro)

Por isso, que eu criei e desenvolvi o Workshop O Fluxo de Trabalho porque é preciso entender mais tudo o que envolve a tecnologia e sobretudo, refletir e testar. Muitas vezes o que parece ser uma grande novidade, nada mais é, do que uma grande cortina de fumaça envolta em informações estranhas e desconexas.

Nesta matéria você pode observar e entender, que apesar de ser um análise sobre o novo modelo A6500, encontramos uma outra opção válida para vídeo na DSC-RX100 Mark 5 e que talvez, você possa realizar trabalhos incríveis com uma câmera acessível, leve e com lente fixa. E seja gerando sequências em RAW ou JPEG, mesmo diante das limitações de tempo de até seis segundos, será um novo fluxo de trabalho, mais desafiador e impressionante. E vamos em frente!!

Sobre Marcello Caldin:

  • Editor e Colorista de filmes e comerciais desde 1989.
  • Instrutor de AVID Media Composer e Symphony.
  • Instrutor de Blackmagic Design DaVinci Resolve.
  • Consultor Técnico para emissoras de televisão e produtoras (Rede Globo).
  • Repórter Fotográfico (Pastoral da Criança e Instituto GRPCOM).
  • Criador do Workshop: “O Fluxo de Trabalho.”

Saiba mais sobre o Workshop O Fluxo de Trabalho. Clique aqui

Matérias antigas: Clique aqui

Contato: marcellocaldin@marcellocaldin.com

Anúncios

2 Respostas to “Sony Alpha A6500 | Review”

  1. Rafael Dias 11/10/2016 às 08:00 #

    Um ponto que faltou ser levantado, é o buffer da câmera para usar sequências em RAW para substituição do vídeo. Em geral, isso não chega muito longe. Se não me falha a memória, a A6500 tem buffer pra até 170 disparos sem interrupção. O que daria cerca de 7 segundos de “vídeo” e seria interrompido. Um tempo praticamente insuficiente pra qualquer produção.

    Curtir

  2. marcellocaldin 11/10/2016 às 08:31 #

    Caro Rafael Dias, obrigado por deixar a sua opinião e entendo a sua confusão sobre o buffer da A6500, mas se você perceber as especificações da câmera, esta está limitada a 11 quadros por segundo e por isso, mesmo em sequência RAW, não se aplica a um vídeo. No entanto, a DSC-RX100 Mark 5, possibilita sim um buffer de 24 quadros por segundo, e pode ser utilizada para o vídeo. Existe uma limitação de quase 7 segundos para isso e concordo com você de que é bem complicado o seu uso para vídeo, mas ainda assim é um começo. Abraços.

    Curtir

Divulgue! www.oeditor.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s