Avid Media Composer | Importar ou Conectar Mídia?

12 dez

site_avid_03

Todos prontos para continuarmos aprendendo o Avid Media Composer? No nosso último vídeo tutorial, aprendemos a criar um novo projeto, e sobretudo, da relevância na escolha da taxa de quadros por segundo dentro do seu Fluxo de Trabalho. Caso você ainda não o tenha assistido, acesse a matéria clicando aqui.

Hoje eu vou falar sobre um tema importante e que requer uma nova reflexão: Devemos importar ou conectar mídias ? Antes de tudo, vamos entender esta distinção entre as duas funções.

Importar Mídia é criar uma nova mídia.

Conectar Mídia é manter a mídia original

É muito provável, que você tenha iniciado na sua profissão de editor de imagens em programas, que raramente importem as mídias e que tudo esteja sempre conectado às cenas originais. Até aí, sem problemas, pois é uma tendência natural da tecnologia de edição. Outra reação natural é a de se perguntar as razões de se importar uma mídia, que na verdade, já existe… E essa, é a pergunta mais importante!!!

Se ao importar uma mídia, eu estou duplicando uma cena e gerando ainda mais mídia em meu sistema de discos, alguma razão e benefício isso deve oferecer… Ou isso, seria apenas um capricho de um editor?

Quando eu escolho importar e duplicar uma mídia para dentro Avid Media Composer, normalmente isso está relacionado a dois fatores distintos: taxa de quadros por segundo e método de compressão Interframe.

Hoje é muito comum se gravar as cenas em uma taxa de quadros por segundo em 24p, por causa das questões artísticas do cinema, mas isso irá gerar um problema ao entregar a sua edição na emissora de televisão, que demanda uma taxa de quadros pro segundo de 59,94i. Em algum momento durante o processo de edição, algum tipo de conversão terá de ser feito e acredite, melhor que seja feito no início da sua edição!!!

Também é muito comum, que as cenas originais que você esteja recebendo, tenham sido geradas por câmeras fotográficas, como Sony e que geram arquivos com métodos de compressão Interframe, ou seja, os quadros são comprimidos através de grupos e não de maneira individual. E isso, é no mínimo um tormento para os sistemas de edição.

Em ambos os casos, o Avid Media Composer tem uma tecnologia de ajustes nas taxas de quadros por segundo e de importação de mídia, que está há anos luz dos seus concorrentes mais famosos. E vamos entender as razões disso!!!

00

Sobre Marcello Caldin:

  • Editor e Colorista de filmes e comerciais desde 1989.
  • Instrutor de AVID Media Composer e Symphony.
  • Instrutor de Blackmagic Design DaVinci Resolve.
  • Criador do Workshop Pixel Cor & DaVinci
  • Consultor Técnico para emissoras de televisão e produtoras (Rede Globo).
  • Repórter Fotográfico (Pastoral da Criança e Instituto GRPCOM).
  • Matérias antigasClique aqui

 

Contato para Workshop e Treinamentos:

 marcellocaldin@marcellocaldin.com

Anúncios

Divulgue! www.oeditor.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s