Trabalhando em equipe: Gerenciamento editorial com o Avid MediaCentral

27 jul

A história da Avid foi e sempre será ajudar pessoas criativas a trabalharem juntas. Mesmo 27 anos atrás, quando foi lançado o Avid1/ Media Composer original, tudo tinha a ver com colaboração. Naquela época, o grande avanço tecnológico era reproduzir em um segundo 30 quadros altamente compactados a partir de um disco rígido. Assim, o conceito de sistema de edição não linear (NLE) capaz executar um projeto do início ao fim não era apenas impraticável financeiramente, mas praticamente impossível do ponto de vista tecnológico. Por isso, para que um sistema revolucionasse o setor, seria necessário ser parte de uma estrutura maior, com gerenciamento de mídia verdadeiramente sólido e recursos de interoperabilidade.Embora os editores profissionais frequentemente destaquem o estilo da timeline do Media Composer e a facilidade com que podem realizar uma edição como motivos para escolherem a Avid, nada disso importaria nos anos 90 se eles não pudessem carregar facilmente todos os seus trabalhos de edição off-line em outras partes do processo, realizar correção de cores, mixagem e edição de som e, finalmente, fazer a masterização e conformação.

Agora estamos em 2018 e todas essas coisas continuam importantes. Não por acaso, os fluxos de pós-produção têm pessoas altamente capacitadas, especializadas em partes específicas do processo criativo. Nesta perspectiva, colaboração é a resposta para que o trabalho seja feito mais rapidamente e com a melhor qualidade possível. Ajudar a fazer tudo isso acontecer sempre foi a missão da Avid.

Dois componentes chave posicionam o Media Composer na liderança dos fluxos de trabalho colaborativos. O primeiro é obviamente o armazenamento compartilhado. Quando a solução original de armazenamento centralizado Avid Unity foi lançada há mais de 20 anos, houve um grande avanço na forma como as equipes de pós-produção trabalhavam. Neste momento, a colaboração evoluiu de um fluxo “linear” fluido para uma fase em que as equipes criativas começaram a trabalhar em paralelo, agilizando muito o processo.

Não é coincidência que na mesma época a produção de reality shows realmente decolou. Programas como Survivor (No Limite, no Brasil) e Amazing Race (The Amazing Race: A Corrida Milionária, no Brasil) têm sequências de gravação intensas e prazos extremamente apertados. A única maneira de viabilizar algo assim é ter um pequeno exército de editores, assistentes e produtores trabalhando em paralelo, em um ambiente que seja intuitivo, responsivo e muito estável. Até hoje, os produtos de armazenamento compartilhado inteligente da Avid, desde os sistemas Unity originais (que ainda estão em atividade em todo o mundo) até a nova linha NEXIS, formam uma espinha dorsal com milhares de ambientes de produção.

Apesar do foco no armazenamento em si e no sistema de arquivos, o modelo de ‘bins’ – ou caixas – da Avid é realmente a mágica que ajuda os editores a colaborarem efetivamente num mesmo projeto. E isso é comprovado pelo destaque com que o Media Composer e o NEXIS são implantados em ambientes de pó-produção e broadcast. Neles, o gerenciamento de mídia e ativos precisa ser totalmente confiável e não pode interromper o processo criativo. Assim, os editores podem trabalhar em conjunto, sem pensar em como os clipes e bins estão sendo compartilhados com assistentes ou outros editores.

Anúncios

Divulgue! www.oeditor.com

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.