Arquivo | Equipamentos RSS feed for this section

Visitamos a O2 Filmes | A maior empresa de Pós-Produção do Brasil

6 nov

Rodeada de talento por todos os lados, a O2 Filmes produz sucessos de bilheteria de cinema, séries de TV e filmes publicitários. A empresa tem como sócios os diretores Fernando Meirelles (diretor de “Cidade de Deus,” “O Jardineiro Fiel,” “Ensaio Sobre a Cegueira,” e “360”) e Paulo Morelli (diretor e produtor de “Cidade dos Homens” e “Entre Nós”), e a produtora executiva Andrea Barata Ribeiro (produtora de “Cidade de Deus,” “Ensaio Sobre a Cegueira,” e “Cidade dos Homens”).

A O2 Filmes iniciou suas atividades como uma produtora de filmes publicitários e logo expandiu seus negócios para produção de conteúdo para cinema e TV além de outras áreas como distribuição de filmes (O2 Play), produção de conteúdo para novas mídias (O2 Outras elas) e serviços de Pós Produção (O2 Pós). Com mais de 100 profissionais na equipe e um enorme espaço criativo de 1.500 metros quadrados localizado dentro dos 8.500 metros quadrados da sede da O2 Filmes em São Paulo, a O2 Pós é considerada hoje a maior empresa de Pós-Produção do Brasil. Criada originalmente para atender a demanda de Pós Produção dos projetos da O2, o núcleo cresceu rapidamente em função dos talentos e tecnologias agregadas, possibilitando à empresa que abrisse suas portas para todo o mercado audiovisual brasileiro, atendendo hoje outras produtoras além da O2 Filmes.

Para dar conta desse rápido crescimento, a O2 rompeu completamente com os sistemas tradicionais e transformou a empresa em uma das maiores instalações de DaVinci Resolve no mundo, iniciando pelo departamento de correção de cor e estendendo aos outros departamentos da Pós, utiliza 80 licenças de DaVinci Resolve distribuídas entre esses departamentos, possibilitando que a correção de cor seja visualizada em qualquer etapa do processo de finalização.

“Está claro para nós que o DaVinci Resolve está caminhando para se tornar uma ferramenta de edição online, o que é muito útil para a O2 Pós. Queremos poder começar e terminar um projeto numa solução única, então esse caminho é bem atraente.” explica Paulo Barcellos Jr, diretor da O2.

Barcellos explicou que as novas funcionalidades do Davinci Resolve 14 facilitarão o processo de conformação e deliveries. “É tudo muito bom e estamos muito animados para saber quais ferramentas mágicas a Blackmagic Design vai desenvolver no futuro.”

Oferecimento:
CenaZERO​ | Anuncie e encontre o que precisa para sua produção!!
www.cenazero.com.br

Anúncios

O que é Adobe Creative Cloud? Entenda o conceito e conheça as vantagens!

2 out

Já imaginou ter todos os benefícios dos aplicativos Adobe no seu escritório/casa e na palma de sua mão, em conjunto com funções exclusivas que vão melhorar o desempenho da equipe e reduzir os gastos da empresa e trabalhos? Por um preço justo!!

Desenvolvido pela Adobe, este serviço em nuvem oferece acesso a todas as ferramentas de criação da empresa como: Premiere, After Effects, Photoshop, Illustrator e o InDesign. Com a Adobe Creative Cloud, é possível iniciar um trabalho no computador, por exemplo, e continuar com o mesmo projeto em seu tablet ou celular para aproveitar os comandos da tela sensível ao toque ou simplesmente para ganhar tempo quando não estiver perto do seu computador.

No modelo em cloud, oferecido pela Adobe, é possível distribuir licenças entre os usuários facilmente através de convites por email e até mesmo instalar os softwares antecipadamente e realizar o pagamento somente no próximo ciclo de cobrança. Há um plano com os softwares de fotografia, outro que permite a escolha individual de um determinado software e um grande pacote com todos os aplicativos de criação, cujo preço é drasticamente mais barato do que se as licenças unitárias fossem compradas separadamente. Vale muito a pena!

O melhor de tudo é que o Adobe Creative Cloud não é exclusivo para empresas, podendo ser comprado por pessoas físicas, com descontos para alunos e professores ou instituições de ensino. Conheça os planos!

Por ser uma ferramenta de serviços ligados à nuvem, era de se esperar que seus programas e arquivos ficassem presos à internet, mas esse não é o caso. Todos os programas são instalados diretamente em sua máquina e não precisam que você esteja online para que eles funcionem.

Outra vantagem é que você recebe todas as atualizações dos softwares assim que elas são lançadas, mas tudo de acordo com a sua vontade. Se não quiser instalar a versão mais nova do Photoshop, por exemplo, você não será obrigado a isso. Caso instale, ainda assim é possível fazer o download de várias versões antigas dos softwares, algo que a Adobe Creative Cloud garante que sempre manterá disponível, evitando assim os temidos problemas de compatibilidade com plug-ins e arquivos. Vale ressaltar que a ferramenta também não deixa seus antigos usuários desamparados. Ao cancelar a sua assinatura, você passará para o modelo gratuito do Adobe Creative Cloud, que ainda oferece 2GB de espaço na nuvem e a sincronização de arquivos. A partir do cancelamento, você terá 90 dias para fazer o download de todo o conteúdo armazenado.

Esse poderoso serviço é sem dúvida um case de sucesso na aplicação de vendas de licença e notamos que os benefícios oferecidos são imensos. Seus diferenciais acrescentem velocidade, criatividade, segurança, compartilhamento e muitos outros benefícios ao seu ciclo criativo.

Vale a pena?? Sim! vale muito a pena!

Lançamentos Panasonic | Merlin Mega Store

17 nov

Inovação, tecnologia e um ótimo custo-benefício!
A Merlin Foto e Vídeo em parceria com a Panasonic Brasil, realizou no último dia 09, o coquetel de lançamento das novas câmeras profissionais Panasonic. Assista! 🎥

Continue lendo

Mercado de Trabalho | 📷 VOCÊ ESTÁ PREPARADO?⬇⬇

16 nov

As mudanças no mercado não param, obrigando empresas e profissionais a se adaptarem a um novo cenário para que seja possível continuar competindo.

post02

O mercado de vídeo digital se tornou um fenômeno mundial, desde produções caseiras até em grandes produções. Com mais de 20 anos de experiência o DRC Treinamentos oferece cursos completos para você sempre ficar atualizado. Assista!

Continue lendo

Panasonic do Brasil faz 03 lançamentos exclusivos na Merlin Mega Store

21 out

A Panasonic traz para o Brasil 03 câmeras profissionais que vão mexer com o cenário audiovisual do país. Com preço amigável, ricas em detalhes e alguns importantes diferenciais, como a boa relação custo-benefício. Inovação, tecnologia e profissionalismo ao alcance de todos.00 Câmera AG-AC30PB

A AG-AC30PB é uma ótima opção para aqueles que precisam de uma câmera com excelente qualidade de imagem e que seja fácil de carregar. Ideal para profissionais que precisam se locomover com agilidade sem perder a qualidade da gravação.ca%cc%82mera-ag-ac30pbDevido a sua grande luminosidade vem com filtro de difusão para suavizar a fonte de luz e um filtro de conversão de cor para ajustar a temperatura de cor. Mesmo com alta potência de zoom (20x) o resultado continua o mesmo, a alta qualidade de imagem. Tudo isso em uma câmera compacta, com menu em português exclusivo para o Brasil.

Câmera AG-UX180

A Panasonic apresenta a série de comcorder UX 4k para atender todas as necessidades de produção de vídeo profissional, a nova AG-UX180 é o modelo Premium, com funções e especificações especiais.

ca%cc%82mera-ag-ux90A câmera vem com uma lente compacta recém-projetada com um ângulo de 24 milímetros de largura e zoom óptico de 20x. Suporta 4K 24p, 60p UHD / 50p, 60p FHD / 50p gravação multi-formato e HD super slow-motion. Dois slots para cartão de memória SD e muito mais.

Câmera AG-UX90

Apresenta uma grande angular 24,5 mm, 15x de zoom óptico e 1,0-tipo de sensor MOS, a AG-UX90 grava imagens 4K /FHD de alta qualidade com excelente relação custo-desempenho, é o modelo padrão da linha UX.

ca%cc%82mera-ag-ux180Contém função AF Inteligente e três anéis manuais para foco, zoom e íris, ideais para o trabalho profissional. Seu design facilita a operação, oferecendo o mesmo nível de agilidade e mobilidade como uma câmara de vídeo portátil HD convencional.post_025Tendo todas essas novidades recém-chegadas, a Panasonic do Brasil em parceria com a Merlin Mega Store tem o prazer de convidar amigos, clientes e parceiros para o coquetel de lançamento das novas câmeras profissionais Panasonic, a ser realizado dia 09 de Novembro 2016, às 17:00 na avenida Almeida Garret, 505, Jardim Nossa Senhora Auxiliadora – Campinas/SP.
Confirme sua presença pelo e-mail criativa@merlin.com.br

Pós-Produção Emissora de TV | Oeditor.com

18 out

A Pós-Produção é a etapa final e frequentemente a mais demorada de todo o processo audiovisual, incluindo aplicações de efeitos visuais, filtros, recorte de chroma-key e correção de cor. Assista!

Visitamos a Rede Século 21 em Valinhos/SP. A emissora está presente nas 21 principais capitais do Brasil, seu sinal chega para mais de 150 milhões de brasileiros.

post_07

Continue lendo

Making Of Comercial de TV | Oeditor.com

17 out

“Da criação à exibição”. No meio desse caminho, a construção da mensagem pelo minucioso mundo da produção audiovisual.
Conheça as técnicas, equipamentos, softwares e tudo que envolve o planejamento e a produção de um comercial de TV. Assista!

Produção
Melina Frazão

Sony Alpha A6500 | Review

10 out

site_a6500

Vai até parecer uma notícia antiga… A Sony acaba de lançar a sua nova câmera fotográfica sem espelho, modelo Alpha A6500 e chega trazendo uma importante reflexão: Até que ponto a tecnologia se tornou redundante? Vamos em frente!!

Existe hoje, a perda do foco da inovação ou a necessidade da novidade é irreversível? Parece que encontramos não apenas na Sony, como em outros fabricantes, um círculo sem fim de redundância tecnológica, que não consegue avançar significativamente em seus produtos. Isso confunde os consumidores e sobretudo, força a utilização de certas tecnologias em mercados errados.

Continue lendo

Lançamento Sony a6500 UHD 4K | E ai vale a pena?

6 out

A Sony acaba de anunciar  a sucessora da a6300 com apenas 7 meses depois de seu lançamento.
post03A Sony a6500 irá custar U$ 400 a mais que a  a6300, mas com características como tela touchscreen, 5-Axis de estabilidade na câmera e sistema de Autofoco ainda rápido.post02Lista de características:
– Sensor: 24.2MP APS-C Exmor CMOS
– Processador: BIONZ X Image Processor
– Tela:3.0″ 921.6k-Dot Tilting Touchscreen LCD
– Gravação video interno UHD 4K Video com S-Log3 Gamma
– Velocidade de gravação: Em Full HD entre 1-120 fps
– Estabilizador: 5-Axis SteadyShot
– Wi-Fi
– Sistema de foco: 4D FOCUS with 425 Phase-Detect Points
– Up to 11 fps Shooting and ISO 51200

A  Sony a6500 estará no mercado no dia 10 de Outubro de 2016. E ai vale a pena?

Sony apresenta nova camcorder HXR-NX5R | Merlin Mega Store

4 out

No dia 27 de setembro a Merlin Foto e Vídeo realizou o lançamento oficial da Sony HXR-NX5R na sua belíssima Mega Store em Campinas/SP. A nova solução para o mercado camcorder veio para substituir as populares NX5 e NX3 e oferecer mais funções de rede e melhorias na imagem para aplicações de produção de eventos ao vivo, casamentos ou produções corporativas.post_01 Assista a matéria!

capa-videos-2

Ilson Brancaleoni Junior, Engenheiro de Vendas da Sony, durante sua apresentação de lançamento da HXR NX5R.

Possui zoom óptico de 20x e também a função Clear Image Zoom, que permite duplicar o zoom de forma digital sem perder a qualidade de imagem e traz um terminal 3G-SDI para suportar saída Full HD 60p.

A HXR-NX5R oferece aos criadores de conteúdo novas funções de rede, incluindo transmissões por FTP e ao vivo, com Wi-Fi integrado, além de gravações de backup simultaneamente através de dois slots para cartões SD para obter maior confiabilidade e adaptabilidade em ambientes complicados de eventos ao vivo. O usuário pode escolher entre o formato de gravação XAVC S a 50 Mbps ou formatos mais estabelecidos como AVCHD / DV para se adaptar a uma variedade de fluxos de trabalho e necessidades de clientes.post_02

A câmera inclui funções diretas fáceis de utilizar e um joystick de rápida resposta, junto com um ângulo de visão amplo e um visor OLED de alto contraste para monitorar a imagem.

Quer conhecer essa e outras novidades? Faça hoje mesmo uma visita na Merlin Mega Store!
Av. Almeida Garret, 505 – Parque Taquaral – Campinas/SP
Telefone: (19) 37414488
www.merlin.com.br

Rede Século 21 | Oeditor.com

24 ago

Visitamos a Rede Século 21 em Valinhos/SP. A emissora está presente nas 21 principais capitais do Brasil, seu sinal chega para mais de 150 milhões de brasileiros.post_00Assista a matéria!

Conta com aproximadamente 200 retransmissoras e uma nova parceria com Rede de Comunicação Interativa. Gostaria de agradecer a recepção de todos os funcionários, principalmente dos diretores Marcos Bragato, Jose Maria Albiero, Horacio CaballeroEric Ananias Modolo, Diego Soares, Má Âmbar,Cristiano Biazi, André Luciano, Fabiano Fachini e principalmente ao excelente profissional Pedro Roncatto, o dia foi especial!

Continue lendo

Gravando Bandas | Próximas Turmas

17 ago

O treinamento “Gravando Bandas” é um curso oficial que nasceu e se consolidou dentro da Jornada Adobe, série de treinamentos oficiais organizada desde 2003 pela Action Criações, nas áreas de Design e Video Digital. Derick Borba encontrou uma maneira inteligente e dinâmica, onde dentro de um treinamento consegue conciliar teoria e prática.

post_02

Próximas Turmas?

1. SÃO PAULO/SP – 01/09 até 03/09 – BANDA: Zander
2. SÃO PAULO/SP – 15/09 até 17/09 – BANDA: Gloria
3. RIO DE JANEIRO/RJ – 30/09 até 02/10 – BANDA: Seu Cuca

Como fazer sua inscrição?
Site: www.gravandobandas.com.br
Facebook: www.facebook.com/Jornadaadobe

O treinamento tem carga horária de 30 horas (3 dias), extenso conteúdo teórico e altamente prático, o aluno adentra ao mundo de produção de videoclipes, passando por todas as etapas, desde o roteiro até a entrega ao cliente. O aluno aprende na prática técnicas avançadas sobre iluminação, participa de todo processo de gravação e utiliza os melhores equipamentos do mercado.POST_02

“Ensinamos segredos de como trabalhar com baixos orçamentos (low budget), e apresentar um video de impacto com resultado final altamente profissional.” Derick Borba, instrutor do treinamento “Gravando Bandas”.

Continue lendo

Faça vídeos estabilizados em 4k | DJI Osmo

8 ago

As câmeras dos drones da DJI estão saindo dos ares e vindo para terra. E nisso eles se transformaram em uma ferramenta única e poderosa para fazer um vídeo portátil bem estabilizado.
post_00 Capturar movimento sem desfocagem, cenas de ação sem trepidação, mesmo quando você se move. Graças a tecnologias avançadas especificamente concebidas para manter a câmera fixa não importando a maneira como você movê-la, a DJI Osmo ajuda você a gravar vídeos e tirar fotos como nunca antes visto. É muito mais do que apenas uma câmera. Ele ajuda você a criar com mais liberdade.

A DJI Osmo é uma reviravolta no setor e tem um tremendo potencial não só para o quem faz vídeo amadores, mas para os cineastas também. Ostentando um estilo simples para segurar a câmera – como se fosse uma pistola – e um dos estabilizadores 3 eixos gimbal Zenmuse também da DJI, a Osmo faz vídeo 4K altamente estabilizado e  vídeo HD a 120fps direito em suas mãos. O dispositivo também oferece a funcionalidade hyperlapse e timelapse, bem como consegue fotografar de forma panorâmica.

Continue lendo

Unimed | Making Of

5 ago

A grande sacada da agência M51 Criatividade Estratégica pra fazer a diferença em mais um filme de Unimed! Um olhar voltado para os que são mais importantes em nossas vidas, nossos pais e filhos!post_02Com direção de fotografia de Bruno Tiezzi, assistente de direção, Danielle de Oliveira, figurinos de Bell Picosque, edição e pós produção de Dinilson Manfrim Bottaro, produção de objetos a cargo de Marina Cipolli e trilha sonora Dimas D’Amico.

Making Of:

Produtora: Studio Eletrônico
Direção: Mario Palermo Filho

Elsys | Making Of

5 ago

Com o posicionamento “Onde você estiver, é perto.”, a Blues Idea desenvolveu um jingle para ser cantado e divulgado por nada menos que Michel Teló, um dos mais carismáticos cantores sertanejos do Brasil, que se mostrou uma personalidade em extrema sintonia com os valores da marca Elsys, como proximidade, simplicidade e comprometimento com seus fãs.

post_01

A campanha conta com ações online, filmes para TV, PDV e muito mais, incluindo um show ao vivo no estande da Elsys em uma feira. Sucesso absoluto entre clientes e fãs.

Making Of:

A Elsys acredita que cada brasileiro merece receber conteúdo de qualidade em sua casa. Que em qualquer lugar deste país é possível crescer fortalecendo relações com seus consumidores e lojistas. Com mais de 20 mil pontos de venda espalhados pelo Brasil, a Elsys considera a proximidade o melhor jeito de atender. Pois, pra gente, onde você estiver, é perto.

Produtora: Paprika Filmes
Direção: Eliel Quaresma de Moura

Resultado Final: vimeo.com/166037114
‪#‎PaprikaFilmes‬ ‪#‎Elsys‬ ‪#‎Bluesidea‬ ‪#‎MichelTelo‬

Making Of das Chamadas da Rede Globo para os Jogos Olímpicos Rio 2016

5 ago

A Rede Globo terá a Olimpíada do Rio como uma grande vitrine para os seus negócios. A maior emissora brasileira está apostando alto em novidades tecnológicas para a transmissão dos Jogos em um plano para conquistar cada vez mais anunciantes e espectadores.00Confira os bastidores da produção da chamada oficial do evento, com direção de Alê Braga a emissora utilizou câmeras Blackmagic Design na produção.

Resultado final:

Entre as inovações da Globo, destaca as transmissões — em parceria com a japonesa NHK — em 8K (o máximo de qualidade de imagem) das cerimônias de abertura e encerramento em sessões especiais no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, o uso de realidade aumentada pelos comentaristas de esporte e, principalmente, o oferecimento de imagens em alta definição no seu serviço de streaming na internet, o Globo Play. O canal espera aumentar de 10 milhões para 12 milhões o número de assinantes pagos na internet.

Continue lendo

ANYMOTION 2ª Edição | Andre Holzmeister

22 abr

A 2ª Edição do ANYMOTION acontecerá no dia 14 de Maio de 2016 ,das 9h às 18h30, com o grande apoio da Faculdade Impacta (Unidade Barra Funda), que disponibilizou o seu auditório, cuja capacidade é de 120 convidados, e ainda uma outra sala que comporta até 30 pessoas, aonde ocorrerão dois workshops.01É num ambiente intimista e descontraído que acontecerão seis inéditas apresentações, além de dois incríveis workshops ministrados por Andre Holzmeister, Diretor e Generalista3D, e Marcelo Baldin, Produtor e Sound Designer referência no setor.01

Andre Holzmeister
Direção para produção audiovisual

Continue lendo

ANYMOTION 2ª Edição | Marcelo Baldin

15 abr

A 2ª Edição do ANYMOTION acontecerá no dia 14 de Maio de 2016 ,das 9h às 18h30, com o grande apoio da Faculdade Impacta (Unidade Barra Funda), que disponibilizou o seu auditório, cuja capacidade é de 120 convidados, e ainda uma outra sala que comporta até 30 pessoas, aonde ocorrerão dois workshops.01É num ambiente intimista e descontraído que acontecerão seis inéditas apresentações, além de dois incríveis workshops ministrados por Andre Holzmeister, Diretor e Generalista3D, e Marcelo Baldin, Produtor e Sound Designer referência no setor.

post01

Marcelo Baldin
Sound Design – Trabalhando com Deadlines

Continue lendo

ANYMOTION 2ª Edição | Inscrições abertas

5 abr

É com muito orgulho que o site Oeditor.com será parceiro do ANYMOTION em 2016, um evento totalmente focado em Motion Graphics e Animação.01
Neste ano, a estrutura e o espaço viabilizam 6 incríveis e inéditas apresentações nacionais e internacionais, com projeção de cinema, 2 workshops com instrutores de extrema qualidade e bagagem profissional, no espaço do entretenimento teremos a presença de uma incrível estátua do HULK em escala real, além dos óculos de realidade virtual, sorteios de cursos, softwares e plugins. 

O ANYMOTION é um evento do segmento audiovisual, composto por um circuito de palestras e workshops com foco em Motion Graphics e Animação. Entretanto, a proposta vai muito além, o evento busca motivar, desmistificar e inspirar todos que integram ou pretendem se integrar ao nicho. É uma oportunidade para estas pessoas se unirem sob um ambiente informal e um clima intimista: encontrar amigos, parceiros, ídolos e até mesmo viabilizar a ampliação destes círculos.

Continue lendo

VFX CENTRAL | Oeditor.com

5 abr

Com a dose certa de talento, equipamentos e disposição para aprender novos programas e ferramentas, seu computador pode fazer de você um profissional de primeira.01

Um dos principais requisitos para uma produção de qualidade é utilizar as ferramentas e recursos apropriados. A tecnologia VFC CENTRAL permite que você utilize Lens Flares, Storm Effects, Lighting Effects, Fire Explosions e outros efeitos profissionais de grandes produções com preços bastante competitivos. Mas existem alguns segredos que você precisa aprender antes para sua futura carreira de sucesso decolar.

Confira um pouco do processo criativo do fundador da empresa Aaron Sorensen.

Continue lendo

Blackmagic DaVinci enfrenta o Final Cut e o Premiere | Comparativo

2 mar

A Revista FilmMaker na sua edição nº26, fez um comparativo entre os principais softwares de edição e mostra como o editor de vídeo gratuito da Blackmagic Design ameaça a hegemonia do Final Cut Pro X e do Adobe Premiere.  A matéria foi escrita por Diego Meneghetti, e teve Daniel Lobo como consultor.

Captura de Tela 2016-03-02 às 12.46.20

Blackmagic DaVinci enfrenta o Final Cut e o Premiere | Comparativo

O predomínio dos dois softwares de edição não linear (NLE, na sigla em inglês), Final Cut Pro XAdobe Premiere, passou a ser ameaçado quando, em junho de 2015, um dos mais poderosos e respeitados softwares de correção de cor, o DaVinci Resolve, também passou a editar vídeos por meio de uma timeline integrada e repleta de recursos. Por isso, Revista FilmMaker decidiu avaliar as principais diferenças entre os três e mostrar as vantagens e desvantagens de cada um.

A Blackmagic Design, responsável pela novidade, deu um xeque-mate na Apple e na Adobe com um custo-benefício insuperável: o DaVinci Resolve 12 é gratuito e traz ferramentas completas para edição e finalização de vídeos em full HD, seja em Mac ou PC – outra vantagem do programa. Para usuários mais exigentes (geralmente grandes produtoras), a Blackmagic oferece uma versão ainda mais sofisticada, a DaVinci Resolve 12 Studio, que custa US$ 995 e habilita recursos como saída em 4K, suporte para múltiplas placas de vídeo (GPU), ferramentas 3D e redução de ruído avançado – algo dispensável para grande parte dos filmmakers que atuam sozinhos e pequenas e médias produtoras.

davinci - modo de gerenciamento midias

Blackmagic DaVinci Resolve 12

O lançamento do DaVinci Resolve 12 jogou muita lenha na discussão entre qual seria o melhor NLE da atualidade, pois acabou com anos de dominação de Final Cut Pro XAdobe Premiere. O primeiro, que há décadas seguia como líder de mercado, perdeu espaço depois da versão X, que desagradou a muitos profissionais, mesmo que o preço tenha estabilizado em US$ 300. Enquanto isso, a Adobe seguiu aprimorando o Adobe Premiere, que durante muito tempo foi visto como pouco profissional, mas hoje, com a integração na suíte Creative Cloud, oferece ótimas ferramentas integradas, como a parceria com outros softwares da família, como Photoshop, After Effects, Media Encoder e SpeedGrade (para correção de cores). Mas essa opção exige uma assinatura mensal da Creative Cloud, que custa R$ 44/mês para um aplicativo ou R$ 109/mês para a suíte completa.

Para ajudar você a entender melhor os recursos dos três softwares NLE, Revista FilmMaker contou com a consultoria do diretor de fotografia Daniel Lobo. Acompanhe, a seguir, o desempenho do DaVinci Resolve 12 em sete aspectos importantes para a definição de um programa de edição não linear e avalie se o novo software pode resolver (sem trocadilho) a sua necessidade.

REQUISITOS

O DaVinci Resolve tem duas características muito importantes para quem deseja migrar de outro software. Adobe Premiere, como o Premiere CC, roda em PC ou Mac, o que possibilita uma adesão ampla (a versão Studio roda até em Linux). Além disso, como ele é originalmente um software de correção de cor (que por princípio importa timelines de outros programas), é fácil migrar projetos criados em outros aplicativos sem problemas.

Uma das principais vantagens do DaVinci Resolve 12 diante dos concorrentes é, claro, o custo zero. Na versão gratuita, o software da Blackmagic faz praticamente tudo o que o Final Cut Pro X faz por US$300 e o Adobe Premiere por R$ 44/mês. Os preços aumentam ainda mais ao contabilizar os softwares agregados.

Por outro lado, o DaVinci exige um computador bem avançado. A Blackmagic recomenda um computador Quad core com pelo menos 16 GB de memória RAM para usar todos os recursos do software, além de uma placa de vídeo dedicada (GPU) poderosa, com pelo menos 2 GB de memória. Em geral, o Final Cut Pro X e o Adobe Premiere rodam melhor em máquinas menos potentes do que o DaVinci Resolve.

Contudo, é importante lembrar que edição de vídeo é uma atividade que utiliza tudo o que a máquina tiver para oferecer. Uma configuração de hardware mais robusta fará diferença no desempenho. Usar uma GPU do tipo CUDA (Compute Unified Device Architecture) é bem recomendável. O Adobe Premiere e o Final Cut Pro X têm requisitos em hardware parecidos: no Windows, o software da Adobe exige, no mínimo, um computador Core2Duo ou AMD Phenon II com suporte a 64 bits, com 8 GB de RAM. No Mac, roda apenas em máquinas com processador Intel. Já o Final Cut Pro X, exclusivo para Mac, recomenda ter 8 GB de RAM e uma placa de vídeo com suporte a OpenCL.

WORKFLOWdavinci-destaque modos de edicao
Uma das grandes novidades do DaVinci Resolve 12 é o sistema de gerenciamento de mídia, que habilita recursos como copiar, mover, transcodificar, consolidar e excluir todos os ativos do projeto, com a opção de arquivar ou exportar para outro sistema – o que deve agradar aos usuários acostumados com a interface do Final Cut Pro X e mesmo do Avid Media Composer.

davinci- importacao de midia

Acima, tela de importação de mídia do DaVinci; na pág. ao lado, a de gerenciamento de mídias (maior) e a de modos de edição (menor)

Além de organizar os arquivos, o software da Blackmagic não restringe o acesso a eles e tudo pode ser feito por meio do próprio aplicativo de maneira bem amigável.

Esse foi um dos pontos cruciais do Final Cut Pro X: os arquivos não ficam mais diretamente acessíveis ao usuário, como era no Final Cut 7 (embora o gerenciamento de mídia nessa versão fosse muito fraco). No Final Cut Pro X, após a importação, o software cria uma cópia da mídia do cartão, com versões de alta qualidade e proxy, de acordo com a necessidade. Todas essas mídias, porém, ficam armazenadas dentro das bibliotecas do Final Cut Pro X – o que geralmente é conhecido como “projeto” nos outros programas e não ficam visíveis ao usuário. Ainda é possível acessá-las, mas a ideia é deixar que o software se ocupe disso.

Final Cut - importaçao de mídia

Acima, a tela de importação de mídia do Apple Final Cut X (com mudanças que geraram críticas dos usuários) e, abaixo, a do Adobe Premiere, que permite acesso direto à mídia

Já o Adobe Premiere segue a filosofia do antigo Final Cut 7 (e do DaVinci Resolve) e possibilita ao filmmaker acesso direto aos arquivos de mídia. Além disso, uma vantagem do Premiere CC é que ele aceita diferentes codecs na- tivamente, sem necessitar da criação de uma versão otimizada.

DESEMPENHO

Isso vale para todos os editores de vídeo: as mídias otimizadas (convertidas para o formato nativo do editor) ocupam mais espaço em disco, mas possibilitam uma visualização sem engasgos. Assim, em vez da velocidade do processador, o gargalo de desempenho fica a cargo do disco de armazenamento – peça que é bem mais acessível que uma GPU.

davinci - modo de edicao - interface geral

Acima, a interface geral de edição do DaVinci Resolve 12, programa de edição que exige um maior poder de processamento e que funciona muito bem com arquivos ProRes

Entre os três softwares, o DaVinci Resolve 12 é o que exige maior poder de processamento para um playback sem problemas. Uma opção para otimizar o desempenho é mudar “Proxy Mode” para “Quarter Resolution” na visualização e trabalhar com mídias otimizadas sempre que possível.

Mesmo assim, o DaVinci Resolve 12, como o Final Cut Pro X, funciona muito bem com arquivos em ProRes. Ambos conseguem lidar com formatos nativos, mas não espere o mesmo desempenho: os tempos de renderização serão intermináveis. Se você sabe que o seu projeto terá muitos efeitos e precisará de render, vale a pena converter as mídias no início.

Adobe Premiere talvez seja a exceção por lidar com os arquivos diretamente no formato nativo, como RED, H.264, MXF, inclusive misturando-os na timeline. Nesse aspecto ele ainda é imbatível, mas é importante usar um codec com a menor compressão possível. Embora exija mais dos discos, isso não gera gargalo no processador, que, em geral, já está sobrecarregado com efeitos e outras funções.

Captura de Tela 2016-03-02 às 13.33.47

INTERFACE

A maneira como o usuário interage com o programa é um parâmetro importante para avaliar se a edição será amigável ou se o tempo de aprendizado do software será algo irritante e impeditivo. Nesse aspecto, o DaVinci Resolve 12 tem muito a oferecer, principalmente se comparado ao que os usuários estão acostumados.

davinci - cursor razor

O DaVinci Resolve 12 com o cursor no modo de edição Razor: uso intuitivo, fácil de aprender

Final Cut Pro X trouxe uma nova interface “estranha” para quem editava vídeos na versão 7. A janela de visualização ainda está presente, mas com novos botões, nomes diferentes daqueles que os usuários já conheciam e novas formas de fazer as coisas. O que era “Project” na versão 7, na X é algo incorporado na “Library”. O “Project“ da versão X é a antiga timeline. Ainda surgiu o “Event” como um elemento novo de organização dentro da “Library”.

davinci - cursor trim abaixo do clipe

Acima, o DaVinci em ação com o cursor no modo de edição Trim, o programa permite a edição de vários clipes sem “engasgos”

Final Cut - modo de ediçao - interface geral

Acima, interface geral de edição do Final Cut Pro X (que lida com arquivos nativos, mas sem agilidade).

Segundo a Apple, essa mudança foi para melhorar a organização dos elementos e seu acesso. A maior alteração, no entanto, foi a própria timeline. O Final Cut Pro X adota a chamada Magnetic Timeline, em que não existem “tracks” e todas as cenas e clipes estão ancoradas na pista central. Algo a se acostumar.

Já o Adobe Premiere pouco mudou nas versões recentes – o que é algo positivo para os usuários fiéis. As novas funcionalidades vão sendo agregadas organicamente ao “Workspace”. Além disso, na suíte CC, outros programas seguem um jeitão semelhante, o que traz agilidade na edição.

Premiere - modo de ediçao - interface geral

Interface do Premiere, o melhor no trabalho com arquivos nativos.

A interface do DaVinci Resolve 12 para edição é algo novo mesmo para os usuários que já conheciam o software – pois, claro, antes nem existia o módulo de edição. O formato e a organização das ferramentas, no entanto, foram pensados para agradar. Tudo é bem intuitivo e, ao contrário do Final Cut Pro X, em que o usuário pode se sentir perdido à primeira vista, no DaVinci Resolve 12 é possível editar sem grandes conhecimentos do software. O estilo adotado com as tradicionais tracks também ajuda o usuário a se familiarizar facilmente.

Esse design aparentemente simples esconde alguns recursos interessantes. Existem apenas três modos de edição: Normal, Trim e Razor. A novidade é que dependendo do modo selecionado e da posição sobre o clipe, a representação do cursor muda e também seu efeito no clipe. O cursor pode adquirir funções de Ripple, Trim, Slide, entre outras. Uma das melhores adições é que torna possível movimentar clipes e não deixar espaços (gaps) entre eles. Embora pareça ter muitos detalhes com os quais lidar, o Trim sensível ao contexto deixa o worflow muito ágil em pouco tempo. É possível até editar múltiplos clipes de uma só vez.

Um destaque da interface do DaVinci Resolve 12 é o modo de correção de cor, que, embora seja semelhante às ferramentas de outros programas, difere do que o filmmaker está acostumado, principalmente pela organização em nodes.

davinci - modo de correcao de cor 1

O modo de Correção de Cor (telas acima e abaixo) é o maior destaque do DaVinci Resolve 12 diante dos concorrentes, pois é a função originária do programa e tem alta eficiência

davinci - modo de correcao de cor 2

Os nodes são uma forma simples e poderosa de criar uma hierarquia de correções, um tipo de tratamento de imagem encadeado. Com isso, é possível afinar qualquer uma das etapas da correção sem afetar as outras. Por exemplo: em um node inicial, a correção pode ser no equilíbrio de branco de um take. Já o node seguinte pode reforçar a cor de algum elemento ou equilibrar a exposição. Se for preciso alterar qualquer um desses elementos, as demais alterações não são perdidas. Em um projeto com muitas sequências diferentes, ainda é possível endereçar nodes de correção para toda a sequên- cia, tornando simples criar e alterar um look daquele trecho do vídeo.

Final Cut - modo de correcao de cor

Acima, modo de Correção de Cor no Final Cut Pro X, que tem efeitos simplificados e rápidos, e, abaixo, o modo de Correção de Cor do Premiere, que distribui recursos em outros softwares.

Premiere - modo de correcao de cor

RECURSOS

Se, por um lado, o Final Cut Pro X pode ser confuso e limitado em projetos mais complexos, para projetos mais simples ele é difícil de ser superado em dois recursos automáticos: as capacidades de igualar cor de diferentes câmeras e de solucionar pequenos problemas de captação. Ele também trabalha bem com chromakey (algo com que a versão 7 sempre teve problemas) e oferece recursos como tarjas e ele- mentos animados e customizáveis.

Ao seguir na direção oposta do Final Cut Pro X, que integra comandos de cor e efeitos simplificados e rápidos, o Adobe Premiere distribui os recursos entre os softwares do pacote Creative Cloud. Por exemplo: para uma cartela elaborada, o Photoshop é perfeito; para uma correção de cor com mais nuances que o corretor interno, é preciso usar o Speedgrade; para dar saída para web e para uma exibição em alta definição, entra em cena o Media Encoder; para recursos de chromakey ou composição, o After Effects é quase imbatível. O importante é que todos esses recursos ficam interligados: ao realizar modificações no vídeo em outros programas, o Adobe Premiere atualiza a timeline com as alterações. O lado ruim é o preço: para ter todas as funções, é necessário pagar pela assinatura de mais de um programa ou pelo pacote completo da CC.

Um dos pontos negativos do DaVinci Resolve 12 é justamente em relação as cartelas, GCs, tarjas e recursos afins. Embora existam algumas opções, elas são muito básicas no DaVinci – que também oferece suporte a efeitos OpenFX, mas não traz nenhum como padrão. Na avaliação dos recursos, o ponto alto do DaVinci Resolve é o modo de correção de cor. Outros desta- ques são a função de chromakey, muito boa, e o tracker (que pode ser usado em janelas de correção, efeitos e até texto), muito mais preciso que o de outros softwares.

O editor da Blackmagic também tem o recurso de Multicam, mas nesse aspecto ainda está atrás do Adobe Premiere e bem longe do Final Cut Pro X, embora cumpra o seu papel. Na versão 12 também foi incluído o easyDCP: o DaVinci Resolve 12 pode gerar um DCP (for mato-padrão para exibição em salas de cinema) diretamente da timeline. Boa parte dos usuários não usará essa função, mas ela pode ser útil, por exemplo, para filmmakers que realizam curtas-metragens e precisam enviar o filme para festivais sem precisar gastar com finalizadoras.

INTEGRAÇÃO

Não é raro que usuários queiram exportar o projeto para ser trabalhado em outro programa. Em um trabalho em equipe, edita-se no Final Cut Pro X e depois envia-se o projeto para outra pessoa realizar as composições no After Effects. Ou edição no Adobe Premiere e depois correção de cor no DaVinci Resolve 12. Este, que sempre foi o workflow de grandes projetos de cinema e publicidade, está chegando às produtoras menores e aos filmmakers freelancers.

Para os usuários de outros produtos da Adobe há um incentivo para ter o Adobe Premiere pela compatibilidade com os outros softwares da empresa. Editar com os softwares da Creative Cloud não é apenas simples, mas também bastante otimizado. O Adobe Premiere ainda consegue exportar facilmente um projeto em XML para ser usado em um software de correção de cor. O Final Cut Pro X também foi pensado para exportar o projeto sem maiores problemas. Nos dois casos sempre haverá limitações em takes com efeitos, remapeamento de tempo e tran- sições mais complexas.

Nesse contexto, o DaVinci Resolve 12 se beneficia por ser, na essência, um software de correção de cor e, portanto, possibilita importar arquivos de diferentes programas de edição com pouquíssimos problemas de compatibilidade. A questão é que a saída do DaVinci tradicionalmente eram as mídias corrigidas, e não os projetos. A Blackmagic tem trabalhado nisso e a versão 12 inclui a exportação de arquivos EDL, XML e no formato do Final Cut Pro X.

SAÍDA

A maioria dos usuários trabalha com elementos e mídias diretamente na timeline e usa o próprio programa de edição para dar a saída final no projeto. Essa é uma maneira de simplificar o processo, principalmente se a montagem e a finalização for feita por uma só pessoa.

davinci - modo deliver - render

Acima, tela do modo Deliver na renderização e, abaixo, tela do modo Quarter Resolution, do programa Blackmagic DaVinci Resolve 12, que tem a enorme vantagem de ser gratuito.

davinci - quarter resolution

Nesse aspecto, o DaVinci Resolve 12 funciona muito bem: o módulo de exportação integrado do software conta com os principais formatos e é altamente configurável. A disputa com Adobe Media Encoder é acirrada, pois a ferramenta da Creative Cloud oferece mais formatos, mas o DaVinci Resolve 12 é consideravelmente mais rápido. Nos dois casos, uma GPU com CUDA me- lhora bastante o desempenho.

Por outro lado, muitos usuários reclamam (com razão) que o modo de saída é um dos grandes problemas do Final Cut Pro X. Mesmo com a ajuda do Compressor (que custa mais US$ 100), a solução da Apple é limitada em formatos e configurações. Nesse caso, é comum que os filmmakers exportem o chamado “Master File” e depois usem outro software para gerar as ver- sões solicitadas pelo cliente.

O DAVINCI RESOLVE?

Infelizmente, ainda não existe um software NLE que atenda a qualquer necessidade de edição. Cada um dos programas tem aspectos positivos e negativos – muitas vezes a escolha recai sobre qual deles realiza melhor o tipo de trabalho necessário. Na versão 12, o DaVinci Resolve 12 avançou muito, mas ainda peca por não oferecer recursos comuns a outros NLEs. Por outro lado, vale lembrar que o software da Blackmagic é um dos mais usados em Hollywood para a correção de cor. E isso você pode ter em casa, de graça (se o computador tiver uma boa placa de vídeo, melhor ainda).

Captura de Tela 2016-03-02 às 13.32.45

O site Oeditor.com agradece a Revista FilmMaker que gentilmente disponibilizou todo o conteúdo desta matéria. A Revista FilmMaker é voltada para o público interessado em filmagens com câmeras fotográficas DSLRs e filmadoras digitais modernas, em HD e Full HD. A publicação apresenta novidades do segmento, teste de equipamentos, informações sobre acessórios, dicas sobre técnicas de filmagem, reportagens sobre o trabalho de profissionais de destaque na área e muito mais. Uma publicação feita para profissionais do segmento de filmagens que atuam em cinema, publicidade, institucional, documental, cobertura social e educacional.

As edições avulsas podem ser compradas diretamente pela Windows Store ou pelo site da Editora Europa.

Logo FilmMaker

Utilizando a Blackmagic para expandir a Indústria Cinematográfica Brasileira

21 jul

Para um cineasta independente, a filmagem quase sempre vem acompanhada de um custo alto. Principalmente quando se trata de um cineasta Brasileiro, esses custos multiplicam-se em várias vezes. A indústria cinematográfica brasileira ainda está na fase inicial de crescimento, portanto ainda existe uma dificuldade em obter equipamentos profissionais.

IMG_3322

Além do mais, vários equipamentos precisam ser importados do exterior e estão sujeitos a taxas de importação. Não é raro um cineasta brasileiro depender de subsídios governamentais para conseguir os recursos necessários para iniciar um novo projeto, ou até mesmo utilizar o seu próprio dinheiro. Apesar disso, cineastas brasileiros independentes apostam nas novidades tecnológicas para produzir os filmes que movem a indústria.

production1

Rafael Duarte e Taísa Ennes Marques fazem parte desse movimento. Juntos, eles fundaram uma pequena empresa de produção cinematográfica no sul do Brasil, onde mantém uma produção constante de filmes de curta-metragem – sejam independentes ou financiados pelo governo. Os esforços estão valendo a pena.  Depois de receberem o Prêmio ABC de Melhor Fotografia para Curta-metragem, da respeitadíssima Associação Brasileira de Cinematografia, a empresa está encontrando um nicho de mercado promissor. Segundo Rafael, o lançamento da Blackmagic Cinema Camera alavancou sua trajetória.

“A chegada da Blackmagic Cinema Camera ao Brasil virou nosso mundo de ponta cabeça”, ele disse. “De repente, percebemos que seria possível obter resultados de qualidade cinematográfica mesmo com o orçamento limitado.”

Desde então, a produtora integrou a Blackmagic Design tão profundamente em seu fluxo de trabalho que agora a equipe utiliza várias câmeras, inclusive a Blackmagic 4K Production Camera, como também o DaVinci Resolve para a correção de cor.

6

Eles enfrentaram vários obstáculos antes de utilizar Blackmagic. “Taísa e eu nos conhecemos em um período de nossas vidas em que ambos querÍamos fazer filmes, mas não sabíamos por onde começar,” disse Rafael. “O cinema no Brasil, principalmente no sul, é difícil. Não existe uma grande indústria cinematográfica, dependemos muito de subsídios do governo. E quando éramos mais jovens, não sabíamos como lidar com isso. Então, resolvemos unir forças e começamos a fazer filmes com nosso próprio dinheiro.”

A dependência nas câmeras baratas acabou sendo uma experiência frustrante. Independentemente da câmera utilizada, os resultados ficavam aquém de um padrão de qualidade internacional. Modelos mais caros estão fora de cogitação, mas a produtora precisava de uma câmera mais adequada para a visão de Rafael e Taísa. Ao descobrir a Blackmagic, foram inspirados pelo seu potencial cinemático. Juntaram seus recursos para comprar uma Blackmagic Cinema Camera. Ao usá-la pela primeira vez nos cânions do sul do Brasil, foram surpreendidos.

“Apesar de ser uma câmera prática e com preço acessível, a forma como o obturador captura a imagem, a latitude e a quantidade de informação do arquivo DNG realmente valorizam a imagem“, disse Rafael. “O resultado superou nossas expectativas. Mesmo usando apenas a luz do sol e um rebatedor, os resultados ficaram lindos. Nunca me estresso durante as filmagens. Mesmo se estiver com pressa ou com algum problema, basta garantir que a luz esteja no lugar certo e que os claros não estejam estourando, por exemplo, que o resto é possível administrar dentro do Resolve. Sempre fica lindo.”

“Caçando” uma Hiper-realidade e o visual RAW

A Blackmagic Cinema Camera de Rafael e Taísa rapidamente tem se tornado uma peça-chave para seus filmes, programas de televisão, e outros projetos. Esse ano, o projeto-destaque da produtora foi  o filme “Caçador”. Com o orçamento baixíssimo de US$2.000, Caçador dependeu da Blackmagic Cinema Camera para seu visual particular: uma mistura de conto de fadas com Faroeste, inspirado pela figura folclórica do Gaucho. Um pedaço de híper-realidade projetado na tela.

“Nós trabalhamos em locações inóspitas de montanhas e cânions, foi algo mágico,”  disse Rafael. “Geralmente quando se captura algo assim monitorando em uma telinha de LED, parece que você perde um pouco da magia. Mas quando abrimos as imagens no Resolve e começamos a colorização, encontramos várias possibilidades lindas e esotéricas. Foi dificil escolher só uma. O formato RAW DNG da Cinema Camera oferece muita flexibilidade por não ter compressão. Eu sinto como se pudesse fazer qualquer coisa com a imagem.”

A transferência da filmagem para o DaVinci Resolve foi natural, e nele a equipe aperfeiçoou a imagem RAW como se estivessem alterando a própria Mãe Natureza, e não apenas o filme digital. O fluxo de trabalho baseado em nodes (nós) foi mais intuitivo para Rafael que o típico sistema de camadas que a maioria das ferramentas de colorização oferecem; e Rafael pôde transferir a sua visão para a filmagem e trabalhar detalhadamente com a colorização.

Por exemplo, uma das cenas mostra a paisagem de grama sob o pôr do sol. No início, Rafael pensou que ao tentar preservar o céu, poderia perder detalhes da grama nas sombras (o firmware da Cinema Camera não suportava a visualização de histogramas na época). Porém, acabou descobrindo que era só uma questão de ajuste nas curvas de cores.  Sem isso, seria impossível otimizar a exposição da imagem. Outra cena, uma imagem noturna do caçador fumando e bebendo na varanda, era pra ser filmada durante o dia, mas faltou tempo.  Foi possível filmar a cena porque Rafael havia trazido consigo uma lâmpada halógena de 1000 watts, apenas por precaução. No entanto, a lâmpada emitia um tom alaranjado na imagem que jamais seria convincente para cenas noturnas.  Após o upload no Resolve, ele trabalhou com o balanço de brancos do RAW para criar um efeito realístico de luar.

production4

“Já me perguntaram se eu tive uma equipe grande trabalharam naquela cena, mas a realidade é que foram só cinco pessoas,” ele disse.  “Foi tudo filmado no estilo de cinema guerrilha. Tirando essa cena em particular, a maior parte do meu trabalho como diretor de fotografia do Caçador era conciliar as tomadas com o horário certo do dia para garantir a melhor iluminação natural para cada cena. A regra era que não podíamos filmar entre as 11h e 13h, quando o sol estava a pino.”

Apesar do baixo orçamento, o filme independente foi bem sucedido: receberam um dos prêmios mais respeitados do mundo cinematográfico brasileiro, o Prêmio ABC de Cinematografia de Melhor Direção de Fotografia para Curta-Metragem. A cerimônia foi prestigiada também por outros homenageados, como Lula Carvalho (Tropa de Elite, Robocop, e As Tartarugas Ninja), que ganhou o Prêmio Melhor Direção de Fotografia no evento.abctrophy

“Fomos para a cerimônia sem pensar que podíamos ganhar. Era como se estivéssemos em uma festa com vários famosos,” disse o Rafael. “Ficamos tipo, ‘Poxa, o que estamos fazendo aqui?’ A Blackmagic Cinema Camera foi um salto tecnológico tão grande em relação às cameras que usávamos antigamente que às vezes ate me sinto como se estivesse trapaceando. Como se não fosse eu, mas a camera que fez todo o trabalho duro. Ela é perfeita!”

production5

Avançando na cena cinematográfica Brasileira com confiança

“A Blackmagic nos dá a confiança que precisamos para competir com produções maiores,  ou quando participamos de festivais de cinema e premiações grandes como a ABC,” diz Rafael. “Às vezes aqui no Brasil ficamos com um pouco de receio e achamos que não temos o orçamento para produzir imagens como em Hollywood, mas isso não é verdade. Se você tiver apenas o sol e uma câmera da Blackmagic, o resultado irá superar suas expectativas.”

Descubra como Marcus Tenchella usou DaVinci Resolve para alcançar o sucesso | Blackmagic Design

23 jan

Screen Shot 2015-01-23 at 17.44.35Marcus Tenchella é um jovem colorista com costeletas à moda antiga. Graduado em Comunicação pela universidade brasileira UNESP, foi um projeto para a universidade que cativou um dos mais famosos coloristas do Brasil. Vejo isso desta forma: minha carreira me escolheu, reflete Marcus, hoje um colorista sênior da Casablanca, uma das principais instalações criativas do Brasil. “Um amigo da faculdade me convidou para trabalhar em seu projeto de filme para a escola. Naquela época, ele trabalhava nos Estúdios Mega e sabia muito sobre o processo de cores. Me envolvi profundamente com o projeto desde o início e sabia que essa era a direção que precisava seguir”.

Pouco depois, em 2006, este mesmo amigo atraiu Marcus para o departamento de telecine como assistente de colorista, trabalhando no sistema de cores 2K e Renaissance do DaVinci original. 

A reputação de Marcus como uma estrela em ascensão lhe valeu notoriedade no mercado de pós-produção do Brasil e logo as estrelas da Casablanca o atrairiam para uma das vagas de assistente na equipe de coloristas. Ele comenta, Estava muito focado e determinado, trabalhando, às vezes, 18 horas por dia. Ao final daquele ano, Marcus foi promovido a colorista júnior. 

Screen Shot 2015-01-23 at 18.14.14

A Casablanca presta serviços de produção e pós-produção de filmes, programas de TV e comerciais para emissoras, cineastas e agências nacionais. “Fazemos muito trabalho de produção e pós-produção para grupos como a Fox e a HBO, que preferem trabalhar com produtoras brasileiras, como a Casablanca, para produzir seriados, bem como emissoras gigantescas como a TV Globo, que atualmente conta com a Casablanca para a produção de um de seus novos programas infantis”.

Embora a maior parte do trabalho da Casablanca com cores ser feito em uma de suas três salas de cores totalmente equipadas com Blackmagic DaVinci Resolve, a primeira experiência de Marcus com a versão digital intermediária do Blackmagic DaVinci Resolve foi no set. “Normalmente trabalhamos após um projeto concluir as gravações, no entanto, tivemos um projeto de filme,‘Crô’,onde fizemos sua correção de cores no set. Foi a primeira vez que usei a versão digital do sistema Resolve e, graças a sua abordagem lógica, funcionou muito, muito bem, Marcus foi convencido. 

Além de corrigir o filme no Resolve, Marcus aprendeu como fazer algumas edições rápidas, podendo montar sequências corrigidas e revisá-las com o diretor, melhorando a colaboração entre o diretor de fotografia, a pós-produção e o diretor do filme. “O Resolve foi incrível. Pude facilmente exportar e enviar fotos por e-mail para o diretor de fotografia, para que ele revisasse quando tivesse tempo. Sem a necessidade dele vir até o sistema ou esperar pela minha disponibilidade. O diretor de fotografia podia nos dizer imediatamente o que gostou e o que não. Era rápido e ajudou muito a evoluir o visual do filme”.

Screen Shot 2015-01-23 at 18.14.25

A correção de cor mais apurada no set também ajudou a criar um pacote para patrocinadores, o que ajudaria a vender o filme. No Brasil, você precisa de patrocínio para fazer seu filme. É lei. No caso de‘Crô’,corrigir as cores das filmagens dramaticamente melhorou o seu apelo aos potenciais patrocinadores e ajudou a ser patrocinado muito rapidamente. A facilidade de uso e a velocidade com que pude corrigir o projeto realmente me convenceu sobre o Resolve. Adoro usar este sistema de cores.

Marcus também gosta do contínuo desenvolvimento e evolução do Resolve e sua ampla adoção pela indústria. “Comecei a trabalhar com o Resolve na versão 9, depois atualizei para a 10 e agora estou trabalhando com a versão 11”, comenta Marcus. O bom é que o software evolui continuamente e que todos podem ter o Resolve em seu desktop. Por isso ele incentiva muitas pessoas a usarem o sistema. Às vezes, simplesmente envio o projeto para que outra pessoa possa revincular facilmente os arquivos. Isso facilita muito ao trabalhar remotamente ou colaborar com outra organização, porque o Resolve foi projetado para incentivar as pessoas a trabalharem com um workflow aberto.

Marcus cita os numerosos formatos de arquivo suportados e a interface intuitiva do Resolve, permitindo que os usuários carreguem projetos e interajam com ele facilmente, mesmo sendo iniciante com o aplicativo. “Mesmo que você não domine o programa, pode olhar para a interface e, com o mínimo de conhecimento, estar pronto para trabalhar”.

BMD_logo

Continue lendo

Blackmagic Pocket Cinema Camera chega ao Horário Nobre em “Lili, a Ex”, da TV Globo

28 out

É bem provável que a maioria dos telespectadores do Brasil tenham assistido a algum trabalho da O2 Filmes. Com mais de 2.000 comerciais, além de longas-metragens e séries de TV com o seu nome, a O2 é considerada a maior produtora da América Latina. Sediada em São Paulo e com uma filial no Rio de Janeiro, a O2 é liderada pelos aclamados diretores Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”, “O Jardineiro Fiel”, “Ensaio Sobre a Cegueira” e “360”) e Paulo Morelli (“Entre Nós” e “Cidade dos Homens”), juntamente com a produtora Andrea Barata Ribeiro (“Cidade de Deus”, “Ensaio Sobre a Cegueira” e “Cidade dos Homens”).

A O2 Filmes produz programas para as redes Discovery Channel (“Trabalho Duro”), HBO (“Filhos do Carnaval”) e Fox (“Contos do Edgar”) e, com a nova lei brasileira que exige que o horário nobre de todos os canais de TV por assinatura tenham conteúdo nacional, a carga de trabalho da empresa está aumentando continuamente. Emissoras como a TV Globo, para a qual a O2 já produz conteúdo, já estão se adequando a essa nova lei. A produção de conteúdo nacional está em constante crescimento.

Captura de Tela 2014-10-28 às 18.05.31

“A TV Globo nos contratou para produzir e entregar um novo programa para o seu canal por assinatura GNT, tendo em conta a nova lei, implementada a cerca de um ano atrás”, comenta Paulo Barcellos, diretor do departamento de pós-produção da O2. O programa “Lili, a Ex” baseia-se nas populares tiras de quadrinhos de Caco Galhardo, contando a história de Lili, cujo propósito na vida é o de atormentar seu ex-marido Reginaldo. Tendo um cronograma apertado e elevadas expectativas para atender, a O2 contou com a Blackmagic Pocket Cinema Camera para atender às rigorosas demandas do horário nobre da televisão.

A Blackmagic Pocket Cinema Camera Ganha a Liderança como Câmera Principal

Apesar da Blackmagic Pocket Cinema Camera já ter sido usada em trabalhos para televisão e cinema, ela ainda é uma câmera nova para muitos diretores de fotografia. Mas isso não impediu Paulo e a equipe de produção da O2. Aliás, eles utilizaram três Blackmagic Pocket Cinema Cameras para capturar as palhaçadas da Lili e sua mixórdia de amigos e parentes.

Uma das principais razões para optarmos pela Blackmagic Pocket Cinema Camera foi o seu tamanho e sua capacidade de filmar no formato CinemaDNG RAW”, diz Paulo. “Em primeiro lugar, a câmera que íamos utilizar originalmente era muito pesada para as filmagens de mão que planejamos. Tínhamos muitos planos curtos para trabalhar e precisávamos conseguir movimentos rápidos da câmera. Aliado ao fato que precisávamos capturar uma aparência de Super 16, a Pocket Cinema Camera foi a única que se encaixou no perfil”.

Eles ficaram agradavelmente surpresos com as habilidades da câmera, menciona Paulo, dizendo, “Começamos a testar a Pocket Cinema Camera e os resultados foram ótimos. Dissemos: ‘Porque não utilizar apenas a Pocket Cinema Camera? O que nos impede de fazer isso?’ Ela oferece muito mais do que os cerca de $995 que custa.

Captura de Tela 2014-10-28 às 18.05.45

Para a O2, utilizar a Blackmagic Pocket Cinema Camera foi uma escolha natural. Ela se encaixa perfeitamente em seu fluxo de trabalho, permitindo gravar em CinemaDNG RAW e capturar a aparência do Super 16 desejada para o programa, e tudo em um mesmo equipamento. Isso deu ao programa “Lili, a Ex” um visual cinematográfico similar ao da película e  ao mesmo tempo atrelado à modernidade das ferramentas digitais. O que também facilitou muito o processo foi que os clipes automaticamente continham todos os metadados atrelados aos arquivos, o que simplificou o processo de finalização para a equipe de pós-produção da O2.

Câmera Pequena, Acessórios Grandes

Ao utilizar a Blackmagic Pocket Cinema Camera como câmera principal em um programa de TV pela primeira vez, Paulo e a equipe da O2 logo descobriram que a câmera era muito leve.

Tivemos um problema inesperado e engraçado quando percebemos movimentos trêmulos na câmera. Descobrimos que a Pocket Cinema Camera era tão leve que a câmera tremia um pouco quando mudávamos o foco. Mas adaptamos. Simplesmente colocamos um pequeno lastro na câmera para compensar e torná-la mais estável. Não estávamos acostumados a ter problemas desse tipo no set porque a maioria das câmeras são muito pesadas”.

Captura de Tela 2014-10-28 às 18.05.52

Apesar de sua faixa de preço acessível, a O2 tratou a Blackmagic Cinema Camera como se custasse US$ 50.000. A câmera foi completamente customizada com lentes grandes, visores e telas adicionais. “Basicamente, substituímos o corpo da câmera original pela Pocket Cinema Camera. Você nem consegue ver a câmera no equipamento!”, brinca Paulo.

A produção utilizou lentes de 16mm e lentes de zoom da Zeiss, além do equipamento MōVI da Freefly Systems e dollies para obter o visual desejado para “Lili, a Ex”. “Com os acessórios certos e suporte para lentes micro quatro terços, a Blackmagic Pocket Cinema Camera superou nossas expectativas.

Produção na Velocidade da Luz

Com apenas três semanas para editar e finalizar cada sequência da temporada de 13 episódios, certamente o tempo foi essencial para a O2 Filmes. A portabilidade da Blackmagic Pocket Cinema Camera, combinada ao fluxo de trabalho que ela possibilitava, foi crucial para a eficiência da O2.

Com a Blackmagic Pocket Cinema Camera conseguimos filmar rapidamente em CinemaDNG RAW”, comenta Paulo. “O formato DNG está anos-luz à frente dos demais. Outras câmeras mais caras são comparáveis, mas podem ser extremamente lentas sem a compra de acessórios adicionais e caros. Filmar no formato CinemaDNG RAW foi absolutamente crucial para que pudéssemos lidar com o conteúdo chegando na pós-produção e completá-lo rapidamente”.

Além do mais, a O2 Filmes conseguiu filmar toda a série de TV e decodificá-la em tempo real utilizando o DaVinci Resolve no set, graças à empresa White Gorilla, laboratório digital de Paulo. Empregando os sistemas e softwares da White Gorilla, eles transferiram todo o conteúdo para o Resolve, de nodo a gerar os dailies em tempo real no set. Então, o conteúdo foi transcodificado para Avid MXF e o áudio sincronizado. Após, os arquivos foram enviados para o servidor principal da unidade de pós-produção da O2, onde editores Avid e coloristas DaVinci Resolve começaram a trabalhar imediatamente. Foi um fluxo de trabalho extremamente rápido e que atendia perfeitamente o cronograma apertado da O2.

Paulo comenta, “É realmente incrível. As pessoas não fazem idéia que utilizamos esta pequena câmera nesta grande produção e não tem absolutamente nada a ver com o orçamento. Você pode ver uma grande diferença entre o que foi filmado e o que conseguimos obter com a Pocket Cinema Camera. O antes e o depois é realmente impressionante. Esse é o futuro!

Muito Além da Gradação de Cores

Toda a produção de “Lili, a Ex”, do início ao fim, foi uma colaboração entre os serviços da O2 e seus parceiros. A divisão de pós-produção da O2 utilizou o DaVinci Resolve para todos os requisitos de gradação de cores e mais.

01

Utilizamos o Resolve como principal ferramenta de correção de cor em 100% dos trabalhos da O2. Comerciais, séries de TV, longas-metragens, todos. E não utilizamos o Resolve apenas para correção de cor, mas para conformação, também”, disse Paulo sobre a paixão da O2 pelo DaVinci Resolve.

Para a sorte da O2, o Resolve 11 começou a ser distribuído bem quando “Lili, a Ex” entraria em pós-produção, permitindo incorporá-lo no fluxo de trabalho imediatamente. Paulo comentou: “Somos muito ousados aqui. Assim que foi liberado o beta público do DaVinci Resolve 11, da Blackmagic Design, começamos a utilizá-lo imediatamente, especialmente o recurso de compartilhamento de banco de dados. Ele permitiu que enviássemos os arquivos de gradação de cores do set, incluindo uma luz, para a pós-produção, para gradação de cores imediata e colaborativa”.

A O2 conta com uma instalação de correção de cor super avançada, equipada com vários DaVinci Resolves, incluindo o hardware de mesa de correção de cor. E tal como a Blackmagic Pocket Cinema Camera, Paulo adora o fato de poder trabalhar com os arquivos CinemaDNG RAW no DaVinci Resolve. “Utilizamos muitos dos recursos de rastreamento do Resolve. Uma cena em particular possui algo em torno de 12 nodes e adoramos poder trabalhar com nodes ilimitados em qualquer cena. Também utilizamos muitas máscaras, para que realmente possamos reformatar toda a aparência de uma cena, bem como a iluminação. Isso é muito importante”.

02

Captura de Tela 2014-10-28 às 18.59.29

Criar um programa de televisão baseado em uma tira de quadrinhos pode ser particularmente desafiador, já que os produtores possuem uma audiência existente para satisfazer, bem como uma nova audiência em formação para conquistar. Independentemente dos desafios, a tira de quadrinhos deu aos coloristas da pós-produção da O2 uma ótima aparência como ponto de partida. Paulo comentou que as cores vibrantes do programa refletem suas origens nos quadrinhos de “Lili, a Ex”, observando, “como queríamos a aparência do Super 16mm, todos os detalhes foram criados com o DaVinci Resolve, contando muito com seu recurso de ‘Curvas’ para se obter as cores”. Graças ao suporte da Blackmagic para o formato RAW e o recurso de Power Windows do DaVinci Resolve, a equipe teve muito espaço para manipulação de cores, ajudando-a a obter a aparência desejada.

A pós-produção da O2 empregou todos os recursos do DaVinci Resolve para concluir os arquivos finais para transmissão. “Exportamos os arquivos ProRes pelo Resolve, para que todos os episódios fossem realmente concluídos no software. Na pós-produção da O2 utilizamos o Resolve de forma bastante excessiva”.

Ferramentas Que Você Não Precisa Lembrar

Como alguém que está sempre na vanguarda das tecnologias de filmagem e pós-produção, Paulo tem o prazer de ver a crescente disponibilidade de equipamentos que se encaixam perfeitamente no fluxo de trabalho da O2.

Estamos chegando a um ponto onde o talento é crítico. Não apenas o talento atrás das câmeras, mas também na frente delas”, comenta Paulo. “Estamos fazendo essa grande série de TV, para esse grande canal por assinatura, pertencente a uma grande rede de televisão e estamos chegando a um ponto onde o equipamento é completamente transparente. É natural não termos mais que pensar sobre isso. Para nós, utilizar a Pocket Cinema Camera foi uma opção, não uma falta de opções. Também foi a melhor opção”.

Já para “Lili, a Ex”, Paulo espera que ela retorne com sua típica vingança. “A TV Globo está realmente satisfeita com os resultados que obtivemos. Acredito que seja um bom candidato para uma segunda temporada. É um daqueles programas que pegarão”.

BMD_logo

SET EXPO 2014 apontará o futuro da tecnologia e da produção de rádio e TV

4 ago

As tecnologias 4K e 8K e a integração do rádio e da TV às novas mídias interativas configuram as principais tendências que serão discutidas e demonstradas no SET EXPO 2014, de 24 a 27 de agosto, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP).

Promovido pela Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET), o evento integra o 25º Congresso Anual da SET e a Feira de Equipamentos, Tecnologia e Serviços aplicados aos Mercados de Broadcasting, Telecomunicações e Mídias Convergentes.

“Nosso setor está passando por grandes transformações devido à cessão de banda de 700 MHz para o LTE e o desligamento das transmissões de TV analógicas, previsto para iniciar no próximo ano, e suas consequências. Em paralelo, no SET EXPO 2014, teremos a oportunidade de vislumbrar o que é atual na radiodifusão e o seu futuro, que envolve as tendências de usar e aplicar novas tecnologias, criando negócios interessantes para o mercado em que atuamos”, declara Olímpio José Franco, presidente da SET.

Reconhecida internacionalmente e com o apoio da Inter BEE e da NAB, dois dos principais eventos do setor, a SET contribuirá com o debate sobre os seus grandes avanços em seu congresso no próximo mês. O Ultra HD (4K), que começa a conquistar o mercado, e o Super Hi-Vision (8K), que promete tornar-se um padrão dentro de alguns anos, serão analisados em diversas sessões por vários dos maiores especialistas do mundo no assunto. Respectivamente, essas tecnologias permitem resoluções de imagem quatro e 16 vezes maiores do que a do Full HD, entre diversas outras características inovadoras.

Diversas sessões sobre o tema reunirão renomados estudiosos do Japão, da Europa e dos EUA entre elas:

“8K um salto para o futuro na transmissão da Copa 2014”
Abordará a tecnologia que viabilizou a transmissão 8K para o Japão e PV no Brasil.

Moderador: José Dias, diretor de Pesquisa & Desenvolvimento e Multimídia da TV Globo

“4K: Evolução/8K: Desafios e Tendências”
Abordagem sobre a indústria de broadcast.

Moderador: Celso Araújo, consultor na área de radiodifusão e produção de filmes e vídeos, além de diretor da SET

“Broadcasters: os desafios do futuro”
Tratará dos desafios propostos pelas mudanças tecnológicas.

Moderador: Fernando Bittencourt, diretor Geral de Engenharia da TV Globo e membro do Conselho de Ex-presidentes da SET

Na feira, um estande da SET em parceria com a emissora pública japonesa NHK fará demonstrações de 8K durante todos os dias da feira, de 25 a 27 de agosto, em TVs de LCD de 85 polegadas da Sharp que foram desenvolvidas especificamente para experimentos. O 4K contará uma com uma área de projeção no estande da SONY, com conteúdo captado ao redor do mundo pelas suas câmeras nessa tecnologia, além de um projetor de Cinema 4K. Diversas outras empresas, como Opic Telecom, Leader, Panasonic e EVS, Imagine Communications, Ericsson, JVC, Grass Valley, For-A e Tektronix, mostrarão novidades nessa linha, entre mais de 300 empresas expositoras que apresentarão o que há de melhor em tecnologia do mercado global.

Entre os principais temas do congresso destacam-se ainda:

A visão atual e futura do ISDB-T, padrão atual da TV brasileira
Questões relacionadas ao espectro de radiofrequência no mundo e aos 700 Mhz no Brasil e no Japão
Interiorização da TV digital
Switch off
Debates sobre os resultados das transmissões de TV feitas pelas operadoras de satélite na Copa do Mundo e suas previsões para as Olímpiadas de 2016
O futuro da mídia
Produção de jornalismo no rádio e na TV
Transição do rádio AM para o FM
Tapeless, baseado em redes de TI
Cloud computing
Distribuição de vídeo por rede IP (Internet Protocol)

Em resposta às mudanças no hábito de consumo de informação e entretenimento, à explosão dos dispositivos móveis e o aumento dos serviços de OTT, entre outros, a tendência da adoção da interatividade e da integração de novas telas terá forte expressão no evento, que vai abrigar até mesmo um concurso de inovação e startups, abordando assuntos como:

Cinema digital
Criação de conteúdo multimídia
Interatividade 2.0
TV nas redes sociais
APPs
Segunda tela

O SET EXPO é o maior evento de broadcast e tecnologia para novas mídias da América Latina e tem o apoio das principais associações do setor no Brasil e no exterior (ASTRAL, ABC, ABRA, ABRATEL, ABERT, AERP, AESP, ABPITV, ABTU, AGERT, AIR, Fórum SBTVD, Senac e SINDVEL) e de todas grandes redes de rádio e televisão brasileiras. A Inter BEE – International Broadcast Equipment Exhibition e a NABShow, promovida pela National Association of Broadcasters, também são parceiras da SET no evento.

Para mais informações, visite o website SET EXPO 2014: http://www.setexpo.com.br/

SET EXPO 2014
Congresso: 24 a 27 de agosto
Feira: 25 a 27 de agosto
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Azul
São Paulo (SP)

Fonte: FilmMaker

ARRI|AMIRA aparece em primeiro

15 jul

O diretor de fotografia Johann Perry recentemente trabalhou com a ARRI AMIRA no filme documental sobre o Anokye Stars FC, um vilarejo da equipe de futebol juvenil de Gana que teve a oportunidade de jogar um torneio inglês. O filme de 12 minutos, chamado MY FIRST INTERNATIONAL, foi encomendado pela agência AKQA e produzido por Firecracker Films em Londres. Faz parte da campanha FIRSTS da Vodafone, uma série de curtas documentais que apresenta histórias pessoais únicas de pessoas fazendo algo incrível pela primeira vez.

Durante as filmagens, Perry informou a ARRI: “Tudo está correndo bem em Gana, a câmera está se comportando maravilhosamente bem, mesmo debaixo de uma temperatura de 40°C. O diretor e o produtor executivo estão completamente deslumbrados com as imagens, eles não param de falar a respeito disso. Eles nunca mais querem filmar com qualquer coisa diferente a partir de agora, eu também estou impressionado, filmando vários interiores escuros com janelas quentes e tons de pele escuros, estes 14 stops estão segurando completamente tudo.”

Ele acrescenta, “Tendo que responder rapidamente as mudanças dos eventos em tempo real, não imagino nenhuma outra câmera que eu preferisse em meu ombro. Fiquei muito surpreso como nosso material ficou, ela lhe dá confiança em cada cena que você faz. Eu não poderia estar mais feliz.”

Desde a filmagem, Perry tem pego sua própria AMIRA e comenta, “A maioria dos meus trabalhos de documentário são sobre as emoções humanas naquele momento. Não há refilmagem, não tem segunda chance. Com a ergonomia perfeita, um sensor “matador” e com uma funcionalidade simples, a AMIRA passa uma completa confiança e controle.”

Smoke® | AUTODESK

15 maio

Software de edição de vídeo profissional para Mac.

O software Smoke® foi concebido para editores que precisam fazer mais do que apenas editar. Integrando um fluxo de trabalho de linha de tempo familiar e a composição com nós, o Smoke conecta edição e efeitos como jamais foi feito. O software para Mac de edição de vídeo Smoke tem ferramentas de finalização para composição 3D, correção de cor e gráficos animados.

Ferramentas de edição de vídeo e efeitos
Use um ambiente familiar com base em trilhas, com ferramentas essenciais de efeitos.

ConnectFX: Composição por “nós”
Mude rapidamente de sua linha de tempo para um fluxo de trabalho de composição por nós pleno.

Poderosos efeitos visuais em 3D
Vá além da composição com camadas 2D, no ambiente Action.

Projeção Estereográfica | GoPRO

8 abr

Conhecida como projeção estereográfica, a técnica de transformar uma superfície esférica em uma representação plana foi recriada pelo fotógrafo alemão Jonas Ginter de um jeito bem criativo: ele colocou 6 câmeras GoPro bem juntinhas, usando um suporte customizado, criado com a ajuda de uma impressora 3D.

6-gopro-glued-together

O resultado da engenhoca  é uma perspectiva divertida e diferente, que mostra quase 360⁰ de um passeio de bike e de outras atividades do dia a dia.

Nada como unir a disponibilidade da tecnologia com um bocado de criatividade. Só cuidado para não ficar tonto com o vídeo.

Font: Jacqueline Lafloufa – Brainstorm9

EFEITOS SONOROS E TRILHAS [ FREE ]

22 abr

Efeitos sonoros ou efeitos de áudio são sons criados ou editados artificialmente, utilizados para enfatizar obras artísticas como filmes, programas de televisão, animações, jogos de vídeo, músicas, ou outros meios de comunicação.

Na indústria de gravação é freqüentemente abreviado como “FX”.

Na produção cinematográfica e televisiva, um efeito sonoro é um som gravado e apresentado para fazer uma determinada narração da história sem o uso do diálogo ou de música. O termo geralmente se refere a um processo aplicado para uma gravação, sem necessariamente referir-se à gravação em si.

Na produção cinematográfica e televisiva profissional, a gravação de diálogo, música e efeitos sonoros são tratados como elementos separados. Diálogo e gravações musicais nunca são referidos como efeitos sonoros, embora os processos aplicados a eles, como a reverberação ou flanging, muitas vezes são chamados de “efeitos sonoros”.

Indico alguns sites de efeitos sonoros e trilhas para download:

http://www.robertetoll.com/
http://www.megatrax.com/
http://www.freesound.org/
http://soundfxnow.com/
http://www.audiomicro.com/

“Criamos e divulgamos conteúdos para entusiastas, estudantes e profissionais do audiovisual”. Gustavo Lopes, Fundador do Oeditor.com

post_oeditor_gustavo

São matérias, vídeos, novidades sobre equipamentos, making of’s, tutoriais de softwares e demais conteúdos compartilhados por profissionais da área.

Criado em 2009, a comunidade tem como público-alvo profissionais que até então não encontravam em um único site ou blog assuntos direcionados especificamente a eles, além de networking direto entre público e marcas. No decorrer dos anos, a comunidade conquistou um número expressivo de seguidores diante de um público bastante segmentado.

Essa conquista foi possível devido aos profissionais que atuam no site Oeditor.com.

01

É uma equipe especializada em várias áreas do audiovisual e comprometida em buscar, diariamente, conteúdos inéditos e de qualidade para todos os leitores.

post_oeditor_gustavo2

Oeditor.com
Site: www.oeditor.com
Facebook: www.facebook.com/oeditorsite
Youtube: www.youtube.com.br/oeditor
Twitter: www.twitter.com/oeditorsite
Instagram: www.instagram.com/oeditorsite
Wordpress: pt.gravatar.com/oeditorsite
Google+: plus.google.com/+oeditor
WhatsApp: +55 19 98212-9519
Skype: oeditorsite
Loja: loja.oeditor.com
E-mail: contato@oeditor.com
LinkedIn: goo.gl/NmDmMX
Mídia Kit: goo.gl/jjJKMj
‪#‎oeditor‬ ‪#‎oeditorsite‬

Assista: https://www.youtube.com/watch?v=hBY4yNLCQEY

Exec TechnologyBlackmagic DesignDuplic VídeoQ-Factory by Robert EtollEditors Keys,POND’SAvidVFX CentralAutodeskARRIMerlin Foto e Vídeo e Visioncolor em Oeditor.

Artist Color: portas abertas para os coloristas

21 maio

Interface da Avid facilita a correção de cor em sistemas Apple Color, Autodesk Smoke for Mac, Foundry Storm e RED Redcine-X.

No passado, a Euphonix foi sinônimo de produtos high-end para áudio, mas a evolução dos sistemas de edição de áudio feitos em um computador fez a empresa buscar novas maneiras de se manter viva no mercado. Para isso ela lançou em 2008 uma linha de controladores para workstations Mac a preços bem mais acessíveis e com uma nova marca: a Artist Series.

O modelo MC Mix vinha com oito faders sensíveis ao toque (já presentes em modelos grandiosos como a System 5), comandos para inserts e equalizações, além de displays Oled de alto contraste. Já o MC Control tinha quatro faders, 12 botões programáveis e tela sensível ao toque. Ambos podiam trabalhar juntos ou separados e usavam o protocolo proprietário para Ethernet EuCon.

Esses produtos mudaram a cara da empresa, mas não conseguiram mantê-la independente. Na NAB do ano passado, a Avid anunciou a compra da Euphonix. A aquisição ampliaria a presença da Avid (e sua antiga divisão Digidesign) no mercado de áudio e ainda traria toda tecnologia dos controladores MC Pro DAW para as suas soluções de áudio e vídeo, como o caso do Avid Media Composer.
O uso dos controladores na área de vídeo foi ampliado ainda mais com a chegada do Artist Color, uma versão dedicada à gradação de cores – um segmento que tem crescido exponencialmente. O modelo não está amarrado às soluções da Avid e trabalha tanto com Apple Color quanto com Autodesk Smoke for Mac ou RED Redcine-X.

Essa proposta facilita muito a operação desses softwares, oferecendo uma interface muito semelhante aos sistemas mais caros do mercado. Ali estão presentes três trackballs e três trackwheels – a base dos comandos na colorização. Além deles nove botões programáveis para funções diretas ou macros e displays Oled.

Fonte: Panorama Audio Visual