Tag Archives: AMIRA

Cristian Dimitrius e AMIRA na água | ARRI

2 set

Cristian Dimitrius é um vencedor do Prêmio Emmy como diretor de fotografia da vida selvagem, do quais incluem trabalhos para a BBC, National Geographic, Discovery Channel, TV Globo, History Channel e Animal Planet. Os projetos de Dimitrius o levou em locações remotas por toda a parte do mundo para filmar espécies ameaçadas da terra ou da água. Seu objetivo é expor ao público a beleza da natureza e inspirar o respeito e a conservação dos recursos da terra. Recentemente, ele filmou com AMIRA o SIRENS OF THE CRYSTAL RIVER; Dimitrius levou a ARRI AMIRA para debaixo d’água para filmar os peixes-boi selvagens na Flórida. Ele falou conosco sobre como é trabalhar com a câmera projetada para trabalhos ágeis e rápidos.Captura de Tela 2015-08-13 às 11.01.06 Por favor, descreva o filme e o que você pretendia capturar.
Para este trabalho eu precisava imagens do comportamento do peixe-boi nas águas do Crystal River, na Flórida. Anualmente, peixes-boi se agrupam durante o inverno e isso traz grandes oportunidades para fotografar esses animais carismáticos. Minha ideia era capturar o comportamento natural, algumas interações com a mãe e o filhote, o nado, imagens gerais e algumas surpresas, que geralmente acontecem quando fazemos filmagens da vida selvagem.

Como você descreveria o look que você estava buscando?
O mais natural possível, mas muito cinematográfico. Meu objetivo é combinar sempre imagens da vida selvagem e uma imagem cinematográfica, para provocar uma resposta emocional do público. No entanto, profundidade de campo não era a melhor opção para este filme, pois nós precisamos garantir foco em todo o animal, foi um pouco maior do habitual, mas ainda menor para os padrões subaquáticos regulares.Captura de Tela 2015-08-13 às 11.01.11Porque decidiu filmar com a AMIRA?
Nos últimos anos tive a oportunidade de trabalhar em uma grande produção da história natural no Brasil e a câmera principal foi a ARRI ALEXA. Eu me apaixonei por ela e no seu sensor, agora queria expandir a experiência que tive em terra para algumas filmagens subaquáticas, mantendo a mesma qualidade e look. Assim, para isso, não há nada melhor do que a irmãzinha da ALEXA, a AMIRA. Além disso, acredito que AMIRA foi a escolha certa, não apenas pela qualidade, mas pela eletrônica selada que poderiam trazer uma proteção extra contra umidade e eventuais respingos, que são comuns quando você está trabalhando em barcos e para o eficiente sistema de refrigeração, que é sempre muito bem-vindo no interior de uma caixa estanque. Tamanho e peso também foram considerados, então, eu acredito que esta foi a escolha certa.

Que tipo de caixa-estanque você está usando? Lentes? Workflow?
Eu usei a Hydroflex MK5 da ARRI Rental e uma lente Prime 20mm. Debaixo d’água, sempre usamos lentes abertas para minimizar a distância entre o sensor e o objeto. Isto é a perfeita escolha para diferentes tipos de filmagens (aberta, média e fechada), sem qualquer distorção. O workflow não foi fácil, pois tive que analisar as condições e ajustar a câmera antes de submergi-la. Para isso, tive um grande suporte da Debora e do Robert da equipe da ARRI de Fort Lauderdale. Uma vez que a câmera estava pronta, eu filmava até o cartão acabar. Por sorte, encontramos uma grande área onde alguns peixes-boi estavam somente para nós, portanto tive bastante tempo de conseguir as cenas que precisava.

O que você acha do tamanho e ergonomia da AMIRA?
Acredito que o tamanho, ergonomia e peso são ótimos para um único operador ou uma equipe pequena. Na terra, gosto de usar em ângulos baixos, fora do tripé, no ombro, e em um tripé se necessário. Debaixo d’água, dentro de uma caixa-estanque, pude manuseá-la facilmente por mim mesmo e tive a ajuda de outra pessoa apenas para colocá-la na água e trazê-la de volta ao barco. Esta é uma ótima câmera para produções da vida selvagem, pois nestes ambientes, precisamos trabalhar com uma equipe reduzida. A AMIRA se encaixa perfeitamente nesse mundo.Captura de Tela 2015-08-13 às 11.01.19Como as imagens saíram?
As imagens estavam maravilhosas considerando o pouco tempo que eu gastava dentro d’água. Tivemos mãe incrível e sua interação com seu filhote, bocejando, um agradável movimento do nado, cochilos engraçados e muitos peixes ao redor do peixe-boi. A visibilidade não era das melhores, mas conseguimos look natural do rio, que às vezes funciona muito bem em algumas produções. Como esperado, a textura, a cor e os detalhes eram ótimos e respeitadas as normas exigidas para um documentário high-end da vida selvagem. Isso é extremamente importante porque, como eu disse antes, as pessoas reagem a isso, mesmo sem perceber. Um look de vídeo não provoca a mesma ligação emocional à cena como um look cinematográfico. Quando filmamos a vida selvagem, quero que as pessoas assistam, se conectem e começam a se preocupar mais com a natureza, nós definitivamente precisamos desse look que esta câmera pode produzir.

Quais os tipos de produções que seria ideal em filmar com a AMIRA?
Acredito que ela seja uma ótima câmera para qualquer tipo de documentário especialmente quando o fotógrafo faz a fotografia sozinho ou não tem, ou não pode ter, uma equipe grande no set ou em grandes orçamentos. É mais fácil usar um único operador de câmera e combinar com uma excelente qualidade de imagem de uma construção robusta.
No mundo do documentário subaquático, a habilidade de filmar a 200fps pode fazer uma enorme diferença e como eu disse antes, os eletrônicos selados provêm uma proteção extra contra sujeira e umidade que fazem a diferença em ambientes agressivos. Eu me sentiria confortável tendo esta câmera nos Polos, em florestas tropicais, ilhas e até mesmo em caixas-estanques, sabendo que este sistema não me deixaria na mão.

Quais os próximos projetos que você tem?
Este ano, temos
muitas aventuras para filmar para o meu programa de TV, incluindo morcegos, baleias assassinas, crocodilos, macacos, cães da neve e hipopótamos. Além disso, há uma nova  série para a televisão a cabo, mas isto é topsecret (risos), e um grande projeto no Pantanal brasileiro para a TV canadense. Então, será muito tempo no campo! Apesar do trabalho de campo, estou trabalhando também com exposições e projetos educacionais no Brasil e em breve nos EUA, mostrando a natureza em shopping centers, locais públicos e escolas. Minha missão ao longo da vida é inspirar as pessoasa se apaixonarem pelo nosso planeta através de minhas imagens, despertando o desejo do conhecimento e conservaçãodo lugar e tudo o que podemos chamar de lar. Esta missão não termina nunca e ainda há muito o que fazer. A AMIRA é apenas uma grande parceira para me ajudar a conseguir isso.

Anúncios

AMIRA captura a queima de fogos em UHD | ARRI

2 fev

O departamento de pesquisa da BBC teve acesso, muito de perto, da famosa queima de fogos da virada do ano em Londres, para realizar uma sessão de teste das festividades em Ultra High Definition (UHDTV) e High Dynamic Range (HDR).

fireworks_cover

Um parceiro da ARRI para o projeto, forneceu uma AMIRA, a qual estava ajustada para gravar em ProRes UDH 4444 a 50p Log C, a fim de trazer o máximo de qualidade possível da imagem original. A AMIRA tem mais de 14 stops de verdadeira latitude e uma alta gama de contraste das cenas, o que significa, que as imagens só podem ser totalmente apreciadas em um monitor HDR de alta qualidade.

burnout-bbcone

Além disso, a ARRI forneceu a lente Ultra Wide Zoom UWZ 9.5-18/T2.9 com a AMIRA, para maximizar a quantidade de detalhes capturados e assegurar que nenhuma ação fosse perdida.

Os testes da BBC fizeram parte da investigação pela empresa dentro de uma variedade de tecnologias, que podem figurar na próxima geração de transmissão. Um relatório completo da filmagem foi recentemente publicado no blog da BBC R&D, que você encontra aqui.

Captura de Tela 2014-10-20 às 14.56.59

AMIRA | Promessas cumpridas

20 set

Em várias produções por todo o mundo, a câmera AMIRA é uma ferramenta flexível e se adapta às necessidades dos clientes, maximizando o retorno do investimento. Seguindo o mesmo modelo que tem permitido a ALEXA se manter na liderança por 4 anos, atualizações de software entregarão novos recursos em resposta às mudanças do mercado e solicitações de usuários do mundo real. Para quem utiliza a AMIRA, a jornada está apenas começando, com o SUP 1.1, esperado para outubro de 2014.

PROMESSAS CUMPRIDAS

Licenças temporárias – O SUP 1.1 traz uma variedade de recursos prometidos quando a AMIRA foi lançada. O mais importante são as licenças temporárias que permitem aos usuários da AMIRA comprar e baixar recursos específicos para seu trabalho, que estarão disponíveis online na Loja de Licenças. As licenças temporárias da AMIRA Advanced e Premium, ativadas por semana, provêm uma solução adaptável para uma enorme variedade de necessidades dos proprietários.

Suporte para EF e B4 – Com a vinda do bocal EF, os usuários da AMIRA podem usar lentes fotográficas, controlando a íris eletronicamente através de uma interface de usuário na câmera. Agora também, passa a ter o suporte para lentes tipo B4, com motor de zoom integrado e com a função de auto íris controlada através de um botão de usuário.

WiFi remoto – O SUP 1.1 permitirá com uma interface gráfica de usuário (GUI), o painel de LCD da AMIRA ser mostrado ao vivo em dispositivos sem fio, permitindo controlar a câmera remotamente, sem necessidade de locar qualquer equipamento adicional. O sinal baseado em HTML pode ser visualizado em dispositivos Androids, iPhones e iPads. Alternativamente, se um controle sem fio não for necessário, qualquer dispositivo com uma porta LAN (tal como um notebook), pode ser conectado na câmera via cabo de Ethernet. A interface de usuário espelha o menu da câmera, muito parecido com o Simulador da AMIRA no site da ARRI.

Monitoração de áudio por Bluetooth – Este novo recurso, permite o operador de câmera ou qualquer outra pessoa monitorar o áudio através de fones de ouvido Bluetooth. Usando um fone de ouvido Bluetooth, equipado com microfone, comentários falados podem ser gravados durante a filmagem, provendo um áudio guia para a edição e pós-produção. Esses comentários são gravados em um quinto canal de áudio e alinhado com os 4 canais principais, mas mantido independente deles.

Ajuste dinâmico de balanceamento de branco – Para situações que envolvem uma mudança de temperatura durante uma tomada, esta opção de balanceamento de branco faz o ajuste de branco automático e constante. Utilizando um sofisticado algoritmo desenvolvido pela ARRI, este ajuste funciona sem problemas, mesmo para extremas transições de temperatura de cor.

Função de pré-gravação – Fundamental para cineastas sobre Vida Selvagem,  a função de pré-gravação usa a memória interna da câmera para gravar em loop, o tempo depende de uma seleção de opções. Quando o botão de REC é pressionado, o clipe gravado no CFast 2.0 incluirá o tempo especificado, no início do arquivo.

REQUISITOS DE USUÁRIO

Tempo de inicialização mais rápido – A AMIRA já inicia mais rápido do que a ALEXA, mas os usuários pediram se poderia ser ainda mais rápido. Esses pedidos foram prioritários no SUP 1.1, resultando numa redução do tempo de inicialização de mais de 25%.

Barra de Cores – A partir do SUP 1.1, a AMIRA será capaz de gerar barras de cores que serão visíveis no visor, no painel de LCD e em qualquer monitor conectado via HD-SDI, permitindo que esses monitores sejam calibrados com o visor da câmera.

Waveform – Alguns usuários da AMIRA com formação em broadcast, solicitaram um waveform no visor da câmera e no monitor de LCD. Isto foi devidamente implementado, com opção de tela cheia ou cobrindo apenas uma parte da imagem, provendo mais uma ferramenta de verificação dos níveis de exposição.

APERFEIÇOAMENTOS TÉCNICOS

Saídas HD-SDI melhoradas –  As saídas HD-SDI da AMIRA, foram melhoradas para permitir que informações de timecode e outros parâmetros que são visualizados no visor, também sejam visualizados nos monitores. Adicionalmente, agora será possível usar um HD-SDI como sinal de entrada para opção de genlock (sincronismo).

Funcionalidade do LDS – Quando utilizar uma lente com o Lens Data System® (LDS) na AMIRA com bocal PL LDS, dados sobre a íris, foco e posições da zoom, serão agora visíveis no visor da câmera e esses dados serão gravados como metadados nos arquivos QuickTime.

Debayer melhorado – Uma constante pesquisa pela ARRI é feita para melhorar o algoritmo  de debayer para a AMIRA, onde resultará em uma maior redução de aliasing e ruído para imagens mais nítidas.

ARRI|AMIRA aparece em primeiro

15 jul

O diretor de fotografia Johann Perry recentemente trabalhou com a ARRI AMIRA no filme documental sobre o Anokye Stars FC, um vilarejo da equipe de futebol juvenil de Gana que teve a oportunidade de jogar um torneio inglês. O filme de 12 minutos, chamado MY FIRST INTERNATIONAL, foi encomendado pela agência AKQA e produzido por Firecracker Films em Londres. Faz parte da campanha FIRSTS da Vodafone, uma série de curtas documentais que apresenta histórias pessoais únicas de pessoas fazendo algo incrível pela primeira vez.

Durante as filmagens, Perry informou a ARRI: “Tudo está correndo bem em Gana, a câmera está se comportando maravilhosamente bem, mesmo debaixo de uma temperatura de 40°C. O diretor e o produtor executivo estão completamente deslumbrados com as imagens, eles não param de falar a respeito disso. Eles nunca mais querem filmar com qualquer coisa diferente a partir de agora, eu também estou impressionado, filmando vários interiores escuros com janelas quentes e tons de pele escuros, estes 14 stops estão segurando completamente tudo.”

Ele acrescenta, “Tendo que responder rapidamente as mudanças dos eventos em tempo real, não imagino nenhuma outra câmera que eu preferisse em meu ombro. Fiquei muito surpreso como nosso material ficou, ela lhe dá confiança em cada cena que você faz. Eu não poderia estar mais feliz.”

Desde a filmagem, Perry tem pego sua própria AMIRA e comenta, “A maioria dos meus trabalhos de documentário são sobre as emoções humanas naquele momento. Não há refilmagem, não tem segunda chance. Com a ergonomia perfeita, um sensor “matador” e com uma funcionalidade simples, a AMIRA passa uma completa confiança e controle.”